A carregar...

Judith diz a polícia que era amante da amiga que assassinou

1 1 1 1 1 Como classifica este artigo? 3.55 (58 Votos)

Lisboa - Judith Maria Graça da Silva, de 39 anos, a presumível autora do assassinato da bancaria Bárbara Marise Menezes de Sá Nogueira revelou nos autos da investigação criminal que mantinha uma relação amorosa com a falecida e que a teria tirado a vida no seguimento de uma discussão que tiveram.


Fonte: Club-K.Net

No decorrer do interrogatório policial, que ocorreu na manha do dia 4 de Junho, a presumível autora contou a polícia que houve um desentendimento entre as duas por causa do envolvimento de uma terceira pessoa que se terá intrometido no seu seio e que foi Bárbara Nogueira, de 38 anos, que a teria inicialmente assaltado.

 

De acordo com a recomposição do crime, tudo começou na manha do dia 30 de Maio quando Judith Maria Graça da Silva começou a telefonar para Bárbara Nogueira desde as 6h da manha daquele dia invocando que precisava conversar urgentemente com a parceira. Bárbara por sua vez, desfez-se de alguns compromissos e telefonou para o Banco Millennium de que era gerente para avisar que chegaria tarde ao trabalho. Antes, levou a filha, de 11 anos, no Colégio Elizângela, junto ao Largo Primeiro de Maio tendo de seguida se dirigido ao encontro de Judith no apartamento daquela, nas imediações da Feira Internacional de Luanda (FILD).

 

Já no apartamento, ambas segundo o depoimento de Judith da Silva, fizeram (ainda) amor, tomaram o pequeno almoço e só depois deu lugar ao áspero debate. Judith confrontou Bárbara de que esta estaria a trair-lhe com um dos administradores do Banco Millennium e que não tolerava. Bárbara mãe de duas adolescente tinha um esposo e segundo depoimento de Judith, ambas comprometeram-se em desfazer-se das suas respetivas relações conjugais. Judith, é solteira e mãe de um rapaz de 18 anos.

 

Ambas brigaram e no decorrer no clima tenso, a falecida teria espetado com uma lapiseira perto da área do umbigo de Judith (ao qual mostrou sinais do ferimento a polícia) e esta por sua vez, pegou numa faca atingindo mortalmente a parceira.

 

 Ao dar conta que a outra perdeu a vida, Judith abandonou o apartamento para na manha do dia seguinte ter solicitado ajuda de um jovem taxista Angelo Lopes para transportar o cadáver que ela havia colocado numa mala alegando tratar-se de carne de cabrito para fins tradicionais. Contactou também uma curandeira identificada por Mama Santa para ajudar-lhe a não ser descoberta e fez desabafos com uma tia dizendo que matou “a sua rival”. A tia, por seu turno aconselhou-lhe a apresentar-se as autoridades policiais, o que não aconteceu.

 

Ao darem conta do desaparecimento de Bárbara, a família fez saber a polícia e esta através de diligências como rasteio das últimas chamadas telefónicas da falecida notaram que estabeleceu contactos com um numero que correspondia ao de Judith Maria Graça da Silva.

A presumível autora foi convocada pela investigação criminal de Luanda e ao seu interrogada negou conhecer o paradeiro da amiga. Após aplicação de métodos próprios, a mesma entrou em contradição durante a sessão de interrogatório acabando por assumir a autoria do crime. Na tarde do mesmo dia (4 de Junho) deslocou-se, na companhia de peritos da policia de investigação, ao local onde despejou o cadáver da amiga.

 

Judith da Silva é descrita como uma jovem com sinais de algumas perturbações. Cresceu no bairro, “mártires” em Luanda e desde a adolescencia revelou sentir-se algum incomodo por vir de uma família de baixa renda e sobretudo por a sua mãe ser de cor negra. Já, a falecida bancaria  cresceu na vila- alice, rua Eugénio de Castro onde conheceu o seu esposo Atos Sá Nogueira.

 

A dada altura, Judith da Silva contou com o apoio de uma irmã mais velha Teresa Silva que ajudou-lhe a imigrar para Holanda. Certo dia daquele país europeu conheceu uma senhora de orientação sexual oposta que alegou simpatizar-se com o seu tone de pele e logo a seguir experimentou uma relação homossexual.

  

Inicio da relação

 

Judith e Bárbara conhecem-se a cerca de 23 anos. Após, o seu regresso da Holanda, a presumível criminosa reencontrou a amiga e no seguimento de diálogos contou que durante a sua permanência no exterior teve a experiência de se ter relacionado com alguém do mesmo sexo. Por seu turno, a malograda confidenciou-lhe que a muitos anos atrás teria algo parecido mas “só uma vez”. Desde este dialogo, ambas começaram a experimentar e por em praticas as referidas experiências. A dada altura, concordaram que deixariam os seus respectivos parceiros para ficaram juntas.

 

Antecedentes


De acordo com uma pesquisa do Club-K, Judith tem antecedentes com a justiça num caso passional em que obrigou uma suposta rival a interromper uma gravidez. Tudo começou quando ao tentar reconciliar-se com um antigo namorado, este disse lhe que não podia mais voltar por ter engravidado uma rapariga de quem estaria sentimentalmente ligado. Judith Silva por sua vez, raptou a “rival” levando-lhe para um apartamento onde obrigou lhe a tomar comprimidos para provocar um aborto. Após a saída do feto, a mesma pegou no embrulho e colocou na sanita. Os familiares da jovem moveram lhe, na altura, um processo judicial e a sua irmã Teresa contactou a advogada Paula Godinho para o defender.






Debate o tópico nas redes sociais:





Debate no Club-K:


NOTA: Os comentários postados neste portal são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Por favor, leia os Termos de Uso. O Club-K reserva-se ao direito de moderar os comentários suspeitos de conter palavras ofensivas e apagar os que não cumpram as regras.



Comentários Arquivados:



Actualizar comentários 

-1 Lésbica 05-08-2013 08:20 #165
A panelice e a lésbica sao males promovidos pelo corion du e Ana Kitumba. Os organizadores da gala Miss Angola sao papeleiros e quem os promove e' a Ana Kitumba e o Corium Du.
+1 Gestor 03-08-2013 06:26 #164
Também digo. Que disperdício...
0 D 02-08-2013 11:28 #163
Vendemos mobiliarios proveniente da Alémanha, com boas qualidades e bom preços, exemplo cama de casal há 300 usd,colchão de casal há 200 usd,e mais coisas de, sofa,mesa de vidro de jantar,etc.Tamb ém vendemos pastas de mulheres com boas qualidades,tamb ém tém é possivel vazer encomendas,visi ta o nosso facebook Dario Silva ou via email toy1003@aolcom
0 Jesuina victorino 01-08-2013 09:33 #162
Que bom já mais um fim de semana as portas
0 NANDO 31-07-2013 12:12 #161
ELA MERESE APODRESER NA CADEIA . ESTA MULHER E UM PERIGO PARA A SOSIEDADE ANGOLANA ACREDITAO ----
+1 RENE 30-07-2013 14:56 #160
Que desperdício,,,, ,, Duas gatas latonas isso não..
+1 António 23-07-2013 10:53 #159
Que pena!! duas mulheres bonitas homosexuais. Que a alma dela descance em paz
0 caio 2020 23-07-2013 10:13 #158
deixem de especular.
0 Mako 22-07-2013 16:28 #157
vocês condenam mas esquecem os vossos pecados. não sejam apressados
0 Hitler 22-07-2013 09:34 #156
. Não foi a TPA 1 ou 2 e o Coreon Du responsaveis do comportamento homossexual das pessoas... outra coisa aqui em Angola tem Gay militar, policia, ministro, fotebolista, foca-te apenas no Crime pra ver se realmente a Judith é culpada ou não. Eu particularmente não acredito que seja ela a mentora desta barbar, não conheço as duas acredito que esteja a ser coagida ou mesmo ameaçada por um tubarão maior....
leftCLUB-K.net é um portal informativo angolano ao serviço de Angola, sem afiliações políticas e sem fins lucrativos cuja linha editorial consubstancia-se na divulgação dos valores dos direitos humanos, educação, justiça social, analise de informação, promoção de democracia, denuncias contra abusos e corrupção em Angola.

O CLUB-K.net foi fundado aos 7 de Novembro de 2000, e é integrado por jovens angolanos (voluntários), com missão representativa em diversos países e reconhecido a nível internacional como uma organização não governamental.

NEWSLETTER

Assine a nossa Newsletter para receber novidades na sua caixa de e-mail. "Gosta" da nossa página no Facebook para receber novidades na parede do seu perfil no Facebook.

INSERE O SEU E-MAIL