As vezes recordo-me deste tempo - Fernando Vumby

Alemanha - Para não perder a originalidade tenho que utilizar neste texto termos que já foram parte do nosso vocabulário outro-ora.

Fonte: Club-k.net

ImageAs vezes acordo inspirado em escrever coisas como essas e por uma questão de hábito pouco me importo que falo até mesmo de pessoas da minha família .

Não é porque me recuso á respeitá-las ou a amá-las como pessoas do mesmo sangue , mais sim porque elas sendo parte destes acontecimentos como escondê-los?

Já dizia o outro ; o meu grande problema é ter o coração na boca e ainda outro aconselhou-me a não dizer tudo que sei !

Como nunca gostei fazer das minhas experiências um monopólio privado , vou repartir sempre convosco todo pedaço da história da minha vida.

AS VEZES RECORDO -ME DESTE TEMPO , ACONTECIMENTOS & DESTES KOTAS

Uma das coisas que mais me revolta é saber que tanta malta do meu tempo e não só.

Pessoas que amarraram ou seja estudaram durante vários anos , nos tempos em que para se entrar para um Liceu Salvador Correia ou Feminino era preciso ser mesmo bom aluno e não havia espaço para a gasosa ou coisa do género como nos dias de hoje.

Hoje ver muitos andarem arrasca da vida , alguns todos secos , sem perspectiva de vida porque se recusaram á alinhar com um regime corrupto e vão morrendo aos poucos tão cedo por falta de equilíbrio fisico e psiquico.

E pior mesmo sendo pessoas que por aquilo que sabem estariam em condições para governar Angola , passarem as piores humilhações e terem que aturar pessoas com o calibre de um Piedade hoje conhecido por Nandó .

Quem tem a minha idade e morou nas Bs ou nas Cs , jogou bola no campo do S.Domingos , no largo da capela por detrás da escola da Jinguba ou enfrente a escola do Micate .

Deve se recordar deste Piedade hoje Nandó , era liambeiro e isto vi com os meus próprios olhos.

Repartia o seu charuto com o meu irmão mais velho um dos seus melhores amigos de infância no quintal do S.Domingo e no Centro Social de S.Paulo onde era uma espécie de mutamba das figuras mais famosas do bairro.

Na sua maioria semi-analfabetos , competiam-se nas namoradas , nas roupas de marca , nas lutas , nas quedas , kapangas e até no feitiço para terem quase tudo.

Só nos estudos sinceramente falando eram quase todos vazios , mais sempre com o nariz no ar , mesmo lendo os jornais com as letras ao contrário e tentando falar um inglês misturado com kimbundo e cheio de calão para iludir a plateia jovem e conquistar as garotas do bairro.


Era o tempo em que cobertório chamavam " kubelo " e as moças " cangaia " o matabicho " matamba "

Mas este grupo do Piedade "Nandó " , Pinho , Jaime Longas , Django , Damião , Kalemba , Lito Bangão o verdadeiro do bairro saiote que só curtia pulas essa malta só tinha a mania de afinar o português e se julgavam nos mais finos do bairro.

Quem tivesse uma pula naquela altura era considerado como um menino fino pois não curtiam as discotecas do musseque nem os bares para além do asfalto.

Qual bar " Chaves " qual quê ?

Qual discoteca do Farias , kudissanga kuamakamba , Braguês , Giro-Giro , Perdidos , Costa Caverdiano ou nos irmão Rufino , qual quê ?

Era uma malta que se considerava de fina , porque alguns já tinha carros mesmo roubados na baixa ou não , com cartão de condução ou não o mais importante era a banga e dar nas vistas..

Vestiam do mais caro da casa Saratoga , la finex e outras botiques de nome , onde só entravam os famosos bangões do Sambizanga na altura ; Paixão , Boa Pinga , Adão ,kapreto e outros que eram considerados como uma espécie de " gatunos revolucionários " porque só assaltavam pulas ricos .

Dizia-se que tinham pau !

Eram ladrões que roubam muito dinheiro e levavam uma vida verdadeiramente luxuosa para o nivel dos bairros onde viviam.

Alguns kamanguistas também já haviam , uns até falsificavam o diamante mesmo em casa utilizando cacus de garrafão e os vendiam na baixa .

Quem se lembra do kota -- Kapingano , Trinony , Beto da Honda , Joãozinho Cordeiro e outros famosos da kamanga que já tinham os olhos abertos como se dizia na altura?

Qual estudos , quais leituras e os que pouco liam quando o faziam gostavam das revistas de bow boys e aventuras onde apreendiam todos os truques da bandidagem .

Perguntem ao Quim Ribeiro , quais eram os livros que ele mais lia naquele tempo ?

Lembro-me dele como se fosse hoje , no café do Areias " bairro Cazenga " , com o Zargateiro -Zé Pedro já falecido sobrinho da famosa mama Donana do bom bom com jinguba .

ATÉ ESTUDIOSOS VIRARAM BUFOS AO SERVIÇO DO CRIME ?

A outra maka e ainda mais revoltante é saber que alguns destes kotas que eram os grandes estudiosos do bairro , fenominais na matemática tratavam a álgebra por tu ,verdadeiras fontes do conhecimento .

Hoje se transformaram ou foram transformados em instrumentos do crime organizado pelo regime , bajulam de todas as maneiras e raramente não estão prontos para matar quem contesta .

Em troca de umas viagens para a Europa ou de um cargo de director num gabinete qualquer onde até nem por isso são tidos e achados como deveriam.

 

FORÚM LIVRE OPINIÃO & JUSTIÇA

Fernando Vumby






Debate este tópico nas redes sociais:

Comente via Facebook, Hotmail, Yahoo ou AOL!




Debate este tópico no Club-K:

Comente no Anónimato (sem iniciar sessão) ou via Redes Sociais (Facebook, Twitter, Google ou Disqus)!

Quem Somos

CLUB-K ANGOLA

CLUB-K.net é um portal informativo angolano ao serviço de Angola, sem afiliações políticas e sem fins lucrativos cuja linha editorial consubstancia-se na divulgação dos valores dos direitos humanos, educação, justiça social, analise de informação, promoção de democracia, denuncias contra abusos e corrupção em Angola.

Informamos o público sobre as notícias e informações ausentes nos canais informativos estatal.  Proporcionamos ao público uma maneira de expressar publicamente as suas opiniões sobre questões que afectam o dia-a-dia, qualidade de vida, liberdades e justiças sociais em Angola... Leia mais

 
 

Direcção consultiva
- Barbosa Francisco  (New York) - IT
- Massano Jorge ( New York) - Editor Principal
- Juca Manuel (New York) - Editor
- Noel Pedro (Lisboa) - Revisor
- Marcos Miguel (Brasil) - Editor
- Júlio Beto - (Holanda) - Editor
- Simão Manuel - (França - Editor
- Juca Fernandes - (Alemanha) - Editor


Telefone: New York: (315) 636 5328

Contactos

 

  • E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

  • WhatsApp: (+244) 918 512 433 Para uso no aplicativo WhatsApp apenas!

  • Reino Unido : (+44) 784 848 9436

  • Buffalo / EUA: (+1) 347 349 9101 

  • New York /USA: (+1) 315 636 5328

Newsletter

Assine a nossa Newsletter para receber novidades diárias na sua caixa de e-mail.

INSERE O SEU E-MAIL

// TAG FOR ADVERTISEMENT