A carregar...

PGR portuguesa reiterou autonomia do Ministério Público em inquéritos a angolanos

1 1 1 1 1 Como classifica este artigo? 0.00 (0 Votos)

Luanda – A procuradora-geral da República reiterou esta semana em Luanda a autonomia do Ministério Público português nos inquéritos judiciais a cidadãos angolanos. Joana Marques Vidal, que falava à margem do 11º Encontro de Procuradores Gerais da Comunidade de Países de Língua Portuguesa, realizado em Luanda, escusou-se, todavia, a dizer se os inquéritos ainda embaraçam as relações luso-angolanas ou se esse tipo de constrangimentos já está ultrapassado.

Fonte: Lusa

"Estou cá no âmbito da reunião dos Procuradores Gerais da CPLP. É sobre esse âmbito que me pronunciarei. Os processos existentes em cada um dos países são da competência própria de cada um dos países e seguem a sua tramitação normal", salientou.

Joana Marques Vidal acrescentou que as relações entre os Ministérios Públicos de todos os países da CPLP e, destacou, "entre o Ministério Público português e de Angola são relações de cordialidade e de respeito mútuo pelo estado de Direito que é vigente dentro de cada um dos países da CPLP".
"E, nessa perspectiva, eu penso que todos nos conseguiremos entender respeitando a autonomia própria de cada um dos países", frisou.

Em causa estão os efeitos da notícia publicada pelo semanário Expresso na edição de 23 de Fevereiro, em que se referia que o Procurador-Geral de Angola e anfitrião da reunião de Luanda, João Maria de Sousa, estava a ser investigado pelo Ministério Público de Portugal, por alegada "suspeita de fraude e branqueamento de capitais".

Na sequência da notícia, o estatal Jornal de Angola, em duas ocasiões, nos dias 25 e 27 de Fevereiro, criticou duramente a fuga de informação e as relações bilaterais. Concretamente, no editorial publicado a 27 de Fevereiro, o Jornal de Angola defendeu o fim dos investimentos angolanos em Portugal, considerando que ao contrário de outros, o investidor angolano não é bem-vindo.

A reacção de João Maria de Sousa foi tornada pública num comunicado enviado dia 25 de Fevereiro à agência Lusa em Luanda, classificando como "despudorada" e "desavergonhada" a forma como o segredo de justiça foi "sistematicamente violado" em Portugal em casos relativos a "honrados" cidadãos angolanos.

O 11º Encontro de PGR da CPLP contou com a ausência da Guiné-Bissau, que Joana Marques Vidal lamentou. "Gostaria que todos os países da CPLP participassem se estivessem em condições institucionais, aceites por todos, de poderem participar neste espaço comum, que é tão importante para todos nós", disse.






Debate o tópico nas redes sociais:





Debate no Club-K:


NOTA: Os comentários postados neste portal são publicados sem edição prévia e são da exclusiva responsabilidade dos seus autores. Por favor, leia os Termos de Uso. O Club-K reserva-se ao direito de moderar os comentários suspeitos de conter palavras ofensivas e apagar os que não cumpram as regras.



Comentários Arquivados:



Actualizar comentários 

+1 YLONGA 20-07-2013 18:20 #9
Portugal sempre foi o guarda chuva da desgraça de angola que entregou a independencia aos seus filhos mulatos e brancos dentro do mpla criando a descordia e e divisões mortíferas entre angolanos e tendo a angola em pleno saque jamais visto que e angola de hoje pior do que os prorios portugueses fizeram e 500 anos.
0 YLONGA 20-07-2013 18:16 #8
enganem-se senhores corruptos em Portugal pais democrático não há segredos de justiça muito menos investimentos angolanos o que existe em Portugal são investimentos de criminosos corruptos angolanos que a muito já deviam estar na cadeia por isso mais tempo ou menos tempo o vosso lugar sera na cadeia e tudo o que vocês estão a roubar sera devolvido assim como a fortuna de angola nas mãos da filha do ditador de angola sera devolvido ao soberano angolano.
+1 AFAMADO 19-07-2013 11:10 #7
Portugal sempre foi a desgraça de angola, alias e a causa de angola de hoje. Deve assumir.
-2 Malanjinho 17-07-2013 22:37 #6
Espero bem q os corruptos de Angola entenderam essa separação q aqui foi referida. Se n entenderam, então devem reiniciar escola primaria para melhor entendimento.
+4 Nkadyampembe 17-07-2013 17:57 #5
Tenho as minhas dúvidas sobre o andamento daquele processo. Que pena aos que estão esperando!
+3 londrino 17-07-2013 16:02 #4
mais uma que foi em Angola fazer turismo pra depois de receber o envelope cheio de dinheiro das maos do regime do MPLA ficou"cega e muda" agora imagino quando voltar pra Tuga vai logo arquivar o processo do gatuno do PGR de Angola pra nao dar bandeira,loucur a esses Tugas por causa da crise economica vendem-se facielmente ao MPLA.
+3 pires feliciano 17-07-2013 14:54 #3
A senhora Joana Vidal "Redde Caesari quae sunt Caesaris,et quae sunt Dei Deo"Eu sei almoço e envelopas nao faltou
porque é a specialidade do sistema angolana pode receber avontade mas'mais :chi va sano,va lontano como diz o italiano !
+3 fala verdade 17-07-2013 11:37 #2
Falsos
+4 ANONIMO 17-07-2013 10:45 #1
O CAVALO SILVA E O HOMEM Q OS PORTUGUESES DEVEM INQUERIR , ELE E A DESGRACA DE ANGOLA , ELE PASSOU O SALAZARISMO NO EDUARDO DOS SANTOS MISTURADO COM RACISMO ,E COLONIALISMO PORTUGUES PARA ENVIAREM A ANGOLA O LIXO DE PORTUGUESES Q CONFUNDEM MUITOS .
leftCLUB-K.net é um portal informativo angolano ao serviço de Angola, sem afiliações políticas e sem fins lucrativos cuja linha editorial consubstancia-se na divulgação dos valores dos direitos humanos, educação, justiça social, analise de informação, promoção de democracia, denuncias contra abusos e corrupção em Angola.

O CLUB-K.net foi fundado aos 7 de Novembro de 2000, e é integrado por jovens angolanos (voluntários), com missão representativa em diversos países e reconhecido a nível internacional como uma organização não governamental.

REDES SOCIAIS

NEWSLETTER

Assine a nossa Newsletter para receber novidades na sua caixa de e-mail. "Gosta" da nossa página no Facebook para receber novidades na parede do seu perfil no Facebook.

INSERE O SEU E-MAIL