Portugal: Recluso angolano assassinado em cadeia portuguesa

Lisboa - A Federação das Associações Angolanas em Portugal (FAAP) mostrou-se “indignada” com o assassinato do cidadão angolano, Lee dos Santos, ocorrido, este domingo, no estabelecimento prisional do Linhó, em Sintra (distrito de Lisboa), onde estava preso desde 2011.

Fonte: Angop

ImageCondenado a sete anos e meio de prisão por furto, roubo e posse de arma proibida, o recluso angolano, de 27 anos, foi morto com uma arma branca, atingido num ombro e no abdómen.

A Direcção Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) de Portugal já confirmou a identificação do suspeito do crime.

Segundo a DGRSP, o corpo de Lee dos Santos encontra-se já para o Instituto de Medicina Legal para ser autopsiado, estando as autoridades policiais a trabalhar para a percepção dos contornos que levaram ao macabro acontecimento, cometido durante as horas de recreio, no pátio, por um ou mais reclusos".

As autoridades prisionais afirmam que o acto resultou da “ruptura dos serviços prisionais e de uma manifesta falta de guardas”, ao que a Federação das Associações Angolanas, num comunicado enviado à Angop, deplora “profundamente”.

“Lamentamos que não tenha havido guardas prisionais para salvaguardar a integridade física de reclusos, resultando na morte de um cidadão angolano, encarcerado por furto, roubo e posse de arma proibida”, diz a nota da FAAP assinada pelo seu presidente, Jerónimo David.

No comunicado, a FAAP espera que “o acto perpectuado não esteja associado a situações de racismo ou outro análogo de descriminação condenável”, alertando que “se for o caso, os angolanos não irão tirar ilações precipitadas pelo facto de o processo estar sob investigação”.

Do incidente na prisão do Linhó, que levou a morte o cidadão angolano, fruto de “inesperada” troca de agressões entre um circunscrito número de reclusos, resultou também o ferimento de um outro recluso.

Filho de Gugo Santos e de Maria dos Santos, Lee dos Santos morava em Lisboa antes de ter sido condenado, e não deixou filhos e mulher.







Debate este tópico nas redes sociais:

Comente com o seu perfil no Facebook







Debate este tópico no Club-K:

Comente no Anónimato (sem iniciar sessão) ou via Redes Sociais (Facebook, Twitter, Google ou Disqus)!

Quem Somos

CLUB-K ANGOLA

CLUB-K.net é um portal informativo angolano ao serviço de Angola, sem afiliações políticas e sem fins lucrativos cuja linha editorial consubstancia-se na divulgação dos valores dos direitos humanos, educação, justiça social, analise de informação, promoção de democracia, denuncias contra abusos e corrupção em Angola.

Informamos o público sobre as notícias e informações ausentes nos canais informativos estatal.  Proporcionamos ao público uma maneira de expressar publicamente as suas opiniões sobre questões que afectam o dia-a-dia, qualidade de vida, liberdades e justiças sociais em Angola... Leia mais

Contactos

 

  • E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

  • WhatsApp: (+244) 918 512 433 Para uso no aplicativo WhatsApp apenas!

  • Reino Unido : (+44) 784 848 9436

  • Buffalo / EUA: (+1) 347 349 9101 

  • New York /USA: (+1) 315 636 5328

Newsletter

Assine a nossa Newsletter para receber novidades diárias na sua caixa de e-mail.

INSERE O SEU E-MAIL

Infográficos