Lisboa -   Um colégio privado conotado aos interesses da família presidencial (na pessoa de Marta dos Santos, irmã mais nova de JES),  está em vias de ser inaugurado em Luanda. Trata-se do Colégio Angolano de Talatona (C.A.T.), que ao mesmo tempo está  a ser considerado - em debates nas redes sociais - como um dos mais caros em Angola, a semelhança das escolas internacionais existentes no país.

 Fonte: Club-k.net/RA

Alunos pagarão 1650 dólares por mês

O  Colégio Angolano de Talatona (C.A.T.) abriu   as portas a 5 de Janeiro do corrente ano e tem  capacidade para   acolher 1075 alunos  que vão  do ensino pré-escolar até à 12.ª classe.

O debate sobre a rigidez quanto aos precários é baseada numa “tabela de preço de 2015” indicando que os alunos do segundo ciclo terão de pagar  ao equivalente de 1000 dólares pelas matriculas/inscrições que se acrescentará a outros  1650 dólares para a mensalidade.  Para o pré- escolar (creche) serão pagos  900 dólares para as matriculas e as mensalidades serão de 1300 dólares.  

 Os alunos pagarão igualmente  750 dólares pelas fardas, conforme a tabela de preços que trás mais detalhes.

No mês passado o C.A.T, distribuiu um comunicado à imprensa, informando que  terá   um reforço curricular da Cambridge International Examinations. “O Inglês e a prática informática constarão dos programas escolares desde o início dos estudos, pretendendo-se uma evolução progressiva e a sua completa fluência e utilização ao nível do ensino secundário”, lê-se na nota.

“O Colégio Angolano de Talatona assume-se como um projecto que tem como primeiro objectivo constituir-se numa alternativa a todos aqueles que procuram qualidade de ensino fora de Angola. Correspondendo assim à necessidade e desejo de muitas famílias, [a escola] será, a curto prazo, uma referência no sector educativo”, diz ainda o comunicado.

Com 43 salas de aulas equipadas com computadores, projectores e quadros electrónicos, o C.A.T. conta também com quatro laboratórios de biologia, geologia, física e química; dois laboratórios de Inglês, com recurso a actividades multimédia; duas salas de formação de informática; três salas para expressão artística, musical e dramática; três espaços para reuniões com pais e encarregados de educação; um pavilhão gimnodesportivo multiuso, ginásios e espaços desportivos polivalentes ao ar livre; uma mediateca, com mais de dois mil livros, em português e inglês, para além de computadores para acesso controlado à Internet; um anfiteatro; dois refeitórios e cafetaria; e uma enfermaria.

O empreendimento, cujo investimento foi de cerca de USD 22 milhões, criou este ano 112 postos de trabalho, sendo 48 para docentes a tempo inteiro, sete para docentes a tempo parcial, 10 para estagiários, 10 para auxiliares e 37 para não docentes.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: