Lisboa – O Presidente da Assembleia Nacional de Angola, Fernando da Piedade Dias dos Santos “Nandó”, expulsou nesta sexta-feira (22), um grupo de jornalistas presentes naquela casa das leis, impedindo-os de fazer qualquer registo do debate sobre o salário mínimo, proposto pela CASA-CE.

Fonte: Club-k.net

Suspeito de imitar Coreia do Norte

Segundo a narração de uma identificada testemunha, quando os deputados da oposição, alertados por alguns jornalistas, se aperceberam o que estava a acontecer com os profissionais da comunicação social, o vice-presidente da bancada parlamentar da UNITA, Adalberto da Costa Júnior pediu um ponto de ordem para questionar a mesa da Assembleia Nacional porque razão os jornalistas estavam a ser impedidos de fazer o seu trabalho.

 

Logo a seguir, foi avançado o “velho” argumento de que eles não tinham autorização para transmitir os debates em directo. A oposição insistiu que sem a presença dos jornalistas iria abandonar a sala, o que acabou por acontecer, porque a presidência da Assembleia Nacional manteve a decisão de não querer os jornalistas na sala.

 

Por outro lado, foi encarado com “estranheza” os argumentos do presidente da bancada parlamentar do MPLA, Virgílio de Fontes Pereira, a dizer que a oposição exigia a transmissão dos debates em directo, quando na reunião dos presidentes dos grupos parlamentares já se concordou o que devia ser passado em directo.

 

Na verdade, segundo a testemunha, o centro da polémica, ao que consta, é a Rádio Despertar. A direcção do Parlamento, suspeitou que a Despertar estivesse a transmitir os debates em directo ou a fazer o registo para depois transmitir na íntegra.

Interrogações da testemunha 

“É exactamente isso que não entendo. Um país em paz, que se diz “Estado democrático e de direito”, que defende o “pluralismo de expressão e de organização política” e o “direito e a liberdade de informar, de se informar e de ser informado, sem impedimentos nem discriminações”, conforme a tal famosa Constituição de 2010, porque razão a instituição que devia ser a mais fiel defensora das liberdades se comporta como a Assembleia do Povo da Coreia do Norte? Porquê tanto medo que o povo tenha acesso ao debate político através da comunicação social? Porque razão as instituições deste país, que se apresenta como democrático, em particular a Assembleia Nacional, insistem em ver fantasmas por todo o lado?



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: