Lisboa -   Circulam insistentes rumores, em meios de funcionários do ministério das relações exteriores de Angola, segundo as quais o mandato do ministro, George Pinto Chicoti, tem estado “beliscado” com a ocorrência de nomeações de quadros distanciados da carreira diplomática cuja promoção estarão revestidas de práticas de nepotismo.

Fonte: Club-k.net

Em violação a lei da probidade

Tais rumores, estão a ser sustentados com informações suplementares segundo as quais o governante angolano – através do Despacho n.º 3865/15 - elevou recentemente Isabel Katanha Pinto Chikoti, com a categoria de 3.ª Secretária da Carreira Diplomática, no quadro de pessoal deste Ministério. Os funcionários do MIREX, suspeitam que a recém provida seja familiar do ministro.

 

Alega-se que em ocasiões anteriores, o ministro, através de um circular datado 18 de Abril de 2011, havia nomeado um cunhado, Ilídio Pauo Nunda Sachiambo, como Vice-Cônsul no Dubai. Num outro despacho, nomeou igualmente uma irmã, Catarina Katanha Chicoti, para Secretaria do Cônsul Geral no Posto Consular de Frankfurt, República Federal da Alemanha.

 

Um outro irmão, Gilberto Pinto Chikoti está colocado como vice-cônsul de Angola em Oshakati, República da Namíbia.

 

De acordo com consultas, as práticas, combate à corrupção, aos conflitos de interesses e outros males que atingem o bem público, são proibidos a luz da lei da probidade, que é um instrumento jurídico de luta pela ética, moral e justiça na partilha da coisa pública.

 

A oposição em angola, com realce a UNITA e o Bloco Democrático, tem acusado o Presidente da República de ser o principal violador da lei da probidade, ao nomear um dos seus filhos, José Paulino dos Santos “Coreon Du”, para exercer as funções de Vogal no Conselho Superior do Memorial Dr. António Agostinho Neto e um outro José Filomeno dos Santos como Presidente do Fundo Soberano de Angola.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: