Luanda - O medicamento para o tratamento do pé diabético "HeberProt-P", é uma mais-valia devido o factor de crescimento epidérmico, com a facilitação do processo cicatrizal e o impedimento da amputação do membro inferior considerou hoje, segunda-feira, em Luanda o Director Geral do Hospital Josina Machel, Leonardo Inocêncio.

Fonte: Angop

Em declarações à imprensa, à margem do “Curso de formação para aplicação em Angola do "HeberProt-P" (medicamento para o tratamento do pé diabético) ” disse que esse produto é usado para o tratamento das úlceras no pé diabético e faz com que o paciente esteja menos tempo internado, e evita que o mesmo seja submetido à amputação em situações desnecessárias.

Acrescentou igualmente que caso haja uma amputação será de menor nível, evitando mutilações maiores.

“É bastante importante para toda a instituição e não só como também para todo o país no sentido de trabalharmos naqueles pacientes diabéticos que em algum momento poderiam ter perdido o membro, e que neste momento já não vai acontecer porque temos disponível o produto e profissionais formados”, reforçou.

Explicou que o produto é de fabricação cubana e se enquadra dentro do plano Nacional de Desenvolvimento sanitário que tem a ver com o tratamento das doenças crónicas não transmissíveis, entre elas as diabetes melitos que constitui uma doença de alta prevalência na instituição.

Fez saber que na primeira fase os doentes de diabetes beneficiaram deste produto e tiveram resultados imediatos num período de 3 a 4 semanas, com o fechamento das úlceras do pé diabético, com um sucesso considerável.

De acordo com o médico, este encontro versa sobre a formação dos profissionais de saúde pública e privadas e tem como objectivo dar a conhecer a comunidade académica profissional, médicos, enfermeiros, técnicos terapêuticos no sentido de saberem sobre o produto chamado "HertProt-P".

“Não é um momento de experimentação mais sim continuidade do processo formativo que havia decorrido anteriormente”, frisou.

Informou também que a unidade sanitária possui uma área disposta de consulta externa com capacidade de atender seis doentes, onde serão atendidos os doentes de diabetes e será aplicado o produto.

Ministro da Saúde admite atenção integral aos doentes diabéticos

O Ministro da Saúde, José Van-Dúnem, reconheceu hoje, segunda-feira, que a oferta de uma atenção integral aos pacientes de diabetes, começando pela informação e a disponibilidade de produtos dietéticos que permitem os doentes terem uma vida mais saudável, constitui uma das preocupações do seu pelouro.

José Van-Dúnem falava por ocasião da abertura do curso de formação para aplicação em Angola do HeberProt-P (medicamento para o tratamento do pé diabético), que decorrerá de 8 a 25 do mês corrente.

Segundo o titular da pasta da saúde, esta oferta passa ainda pela educação e conforto do paciente, onde o objectivo é trabalhar sobre os preços suportáveis nas farmácias, a disponibilidade gratuíta nas unidades hospitalares, iniciando pelos anti-diabéticos orais e passando pelas insulinas.

Para o ministro, a intenção dessa formação é situar a razão porque se utiliza o hebertprot.

“Estamos preocupados com o peso das doenças crónicas não transmissíveis e estamos a ensaiar pessoas para tornar esta resposta mais efectiva e possível”, ressaltou.

José Van-Dúnem sublinhou que a expectativa é fazer desta formação, núcleo radiador de conhecimentos aonde aqueles que trabalham em diabetes possam vir inspirar para melhor, o seu trabalho.

“Devemos criar capacidade adequada para que os técnicos possam ganhar habilidade na utilização do hebertprot para serem agentes formadores, primeiro com carácter regional para, Huambo Benguela, Huila, Malanje e Cabinda e depois para outras províncias ou onde haja um população diabética que mereça essa atenção”, salientou.

Fez saber que nestes esforços o hospital Josina Machel tem trabalhado afincadamente com a utilização de ferramenta extremamente importantes posta à disposição pelo governo de Cuba que se prende ao Hibertprot-p.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: