Ndalatando - O coordenador da Rede Angolana das Organizações de Serviço de Sida (ANASO) da província do Kwanza Norte, Domingos André António, denunciou sexta-feira, em Ndalatando, a existência de cidadãos que procedem a propagação da referida doença de forma consciente e dolosa.

Fonte: Angop
Domingos António disse que, até ao momento, a rede de protecção de pessoas vivendo com VIH-Sida denunciou e procede o acompanhamento judicial de três casos de contaminação dolosa, um dos quais já julgado e condenado, enquanto os outros dois seguem os seus trâmites em fórum judicial.

“Há pessoas, sobretudo com algum poder económico e material, movidas pelo sentimento de não quererem morrer sozinhas, depois de infectadas, contaminam dolosamente as outras com Sida, aliciando as suas vítimas com dinheiro, atribuição de casa e carro para a prática do sexo sem protecção”, referiu.

Domingos António salientou que a rede encontra-se actualmente empenhada na promoção de campanhas de sensibilização dos cidadãos sobre os riscos e os métodos de prevenção da doença e aconselhamento das pessoas para aderirem voluntária aos testes do VIH-Sida.

As acções de sensibilização, continuou, está a ser realizada em simultâneo com a distribuição de panfletos e cartilhas informativas, sobre os métodos de prevenção, importância do teste, sintomas e riscos do VIH/Sida.

A ANASO no Cuanza Norte existe desde 2007 e desenvolve acções que visam, principalmente, o fortalecimento da autoestima e a melhoria da qualidade de vida das pessoas vivendo com o VIH, mediante a realização de visitas domiciliares e hospitalares.

Situada a 190 quilómetros de Luanda (capital do país), a província do Cuanza Norte é constituída por 10 municípios e 31 comunas que compreende uma extensão territorial de 20 mil 252 quilómetros quadrados e habitado por 427 mil e 971 populares.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: