Lisboa – O Director-Geral do Jornal de Angola, José Ribeiro autorizou que o seu assessor português volte a escrever para as páginas daquela publicação mas na condição de usar por enquanto um pseudónimo, que não seja o seu antigo Alvaro Domingos.

Fonte: Club-k.net

Na ultima terça-feira (16), o assessor português fez sair um texto de opinião na qual fez-se passar por   “Pereira Diniz”.  No referido texto, Artur Queiroz   destrata um professor universitário espanhol José Luis Barceló, que foi a Angola a convite da UNITA,  a quem o mesmo   acusa de mentiroso por ter narrado o que viu numa visita ao interior do país, no passado mês de Março.  

 

Em círculos com conhecimento do assunto, considera-se que é o próprio Artur Queiroz que está num quadro de mentiras ao assinar um texto com um nome que não é seu, mas de um amigo e editor de reportagem do Jornal de Angola.

 

De acordo com registos, esta não é primeira vez que Pereira Dinis, formado em direito, sujeita-se a ser usado desta maneira por Artur Queiroz. Noutras ocasiões foi criticado pelos seus colegas de trabalho por aceitar fazer recados do assessor português, como ir comprar o  almoço dele ou iogurtes.

 

De lembrar que Artur Queiroz esta temporariamente impedido de assinar textos no Jornal de Angola por se encontrar num quadro de conflitualidades e ilegalidades (trabalha em Angola com um visto de turismo).  É considerado o “braço direito” do Director José Ribeiro, a quem ajuda a escrever textos de opinião e a implementar no Jornal de Angola, uma linha editorial baseada na calunia e ataque contra quem critica/denuncia as praticas de corrupção no regime do MPLA.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: