Luanda - Vários funcionários da emissora metodista Rádio Kairós queixam-se de serem alvos de despedimentos indirectos, alegadamente, por reclamarem melhores condições laborais e aumento salarial.

Fonte: Club-k.net

Segundo fontes daquela casa de rádio afecta a Igreja Metodista Unida, actualmente os salários oscilam entre os 20, 25 a 35 mil kwanzas para locutores, editores e técnicos. Ao passo que secretárias e certos indivíduos supostamente familiares dos responsáveis da rádio com ligação directa ou indirecta a igreja metodista, recebem de 50 a 80 mil kwanzas.

 

Os funcionários denunciam por outro lado, que tem havido muitos desvios de elevadas quantias monetárias, que a rádio recebe fruto dos contratos que tem com igrejas e outras organizações, que compraram espaço de antena. Só nos últimos dois meses o PCA da rádio, o também jornalista sénior da Rádio Nacional de Angola, Eduardo Magalhães, mandou depositar mais de 1 milhão de kwanzas na sua conta pessoal, segundo uma das secretárias mandatada na execução das referidas operações.

 

Nesta altura parte dos funcionários estão a ser sancionados, por exigir esclarecimentos ao Conselho de Administração, que paga de forma sazonal e parcial o pessoal.

 

Acrescentam que em função do mau ambiente que se instalou no seio dos funcionários, alguns profissionais se viram obrigados a demitir-se os seus postos de trabalho como é o caso dos jornalistas Aires Francisco, Francisco Meneses, entre outros, ao passo que outros foram despedidos sem serem pagos os meses de atraso e as respectivas indemnizações.

 

Os profissionais lançam grito de socorro, por verem seu futuro ameaçado naquela estação de rádio, fundada a cerca de quatro anos.

*Carlos André

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: