Luanda - A chegada da estilista Pnina Tornai a Luanda não surge por acaso. A criadora de vestidos de noiva, famosa pela sua participação no programa “Say Yes to The Dress”, abriu a sua primeira loja no continente africano segunda-feira, um ano e três meses depois de Naulila Diogo Graça, filha do ministro da Administração do Território Bornito de Sousa, ter estado na Kleinfeld, em Nova Iorque, para comprar o seu vestido de noiva.

Fonte: Rede Angola

O princípio da relação entre Pnina Tornai e Naulila Diogo Graça foi divulgado por aquele programa, emitido pela TLC, num episódio especial em que a estilista recebe três clientes VIP, intitulado “V.I.Pnina”. A participação da angolana foi destaque, inclusive, porque a Kleinfeld fez a maior venda da sua história. A filha de Bornito de Sousa saiu da loja com nove vestidos, uma compra superior a USD 200 mil, segundo o apresentador Randy Fenoli.

Apesar de o casamento com Pedro Graça ter acontecido em Outubro do ano passado, o episódio do programa “Say Yes to The Dress”, em que Naulila faz a compra histórica, só foi emitido no mês passado.

“Voei 16 horas de Angola para Nova Iorque para encontrar o vestido perfeito”, começa Naulila Diogo Graça por dizer, uma das três noivas que puderam estar à vontade na loja, já que esteve fechada para outras clientes. Pnina Tornai justificou a decisão afirmando que com a loja fechada ela conseguiria garantir atenção total para essas clientes.

Naulila Diogo Graça foi para Nova Iorque com a família para passar apenas três dias, o tempo de provar os vestidos e concluir a compra de 200 mil dólares norte-americanos. “Foi sempre um sonho usar um vestido Pnina Tornai, têm muito glamour, com muitos cristais e eu adoro. Quero parecer uma princesa, uma rainha”, diz Naulila antes de encontrar a estilista e ensiná-la a dizer umas palavras em português.

Vestidos únicos para todas!

Pensando num casamento para 800 pessoas, Naulila Diogo Graça conta que quer que a sua cerimónia seja “maior e melhor do que qualquer outra já vista”. Para começar, encomendou um vestido justo para uma cerimónia íntima, onde apenas os membros da família estariam presentes. “E o preço deste vestido é 30 mil dólares”, conta a estilista. Além disso, tem milhares de cristais Swarovski bordados à mão, num valor de cinco mil dólares. Os acessórios do primeiro vestido não acabam aqui, a noiva usou ainda um véu do tipo voilette, no valor de 500 dólares.

Para a grande cerimónia, a noiva escolheu um vestido estilo princesa de 25 mil dólares, cuja criação pode chega a 300 horas. “Naulila é praticamente realeza no seu país, não poderia fazer apenas um vestido normal, por isso fiz este com uma saia surpresa para usar no copo d’água”, disse Pnina Tornai. O véu de renda precisou de pelo menos três dias de trabalho para bordar à mão os cristais Swarovski, tornando-o único por cinco mil dólares.

Contudo, um contratempo anima o episódio. O vestido de Érica Vilhena, dama de honor, desaparece, e o da mãe da noiva deveria estar coberto de cristais mas é apresentado às clientes ainda incompleto. A estilista logo explica que o vestido não está pronto porque a mãe estava a perder peso, o que dificultaria depois possíveis alterações. A roupa de Érica Vilhena continua desaparecida por uns minutos até que o “pesadelo”, como é chamado pelo narrador Roger Craig Smith, termina.

O vestido da mãe de Naulila Diogo Graça custou 30 mil dólares e os das seis damas de honor 15 mil cada peça.


“Naulila gastou aqui mais do que qualquer outra noiva na história da Kleinfeld”, declarou Randy Fenoli. “Saindo com um total de nove vestidos originais Pnina Tornai, uma saia surpresa, bordados personalizados e acessórios. Um total de mais de 200 mil dólares”, continuou o apresentador visivelmente feliz.

Maria Fuci, outra noiva VIP desta marcação, gastou 50 mil dólares num vestido criado só para ela, enquanto a outra noiva, Christina Singh, conseguiu combinar três estilos de vestidos num, o que custou ao seu pai 45 mil dólares.

Depois deste contacto com a estilista, Naulila Diogo Graça foi convidada para ser a representante da loja Pnina Tornai em África. A informação foi confirmada ao Rede Angola pela própria, ontem, por telefone. “Ela convidou-me para representar a marca cá em Março do ano passado, quando fui comprar o meu vestido de noiva”, disse Naulila Diogo Graça ao RA. Pnina Tornai esteve segunda-feira na abertura do atelier, localizado no bairro de Alvalade.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: