Lisboa – Um grupo de prostitutas brasileiras que operam  no bairro Talatona, em Luanda, vazou, nas redes sóciaiss, uma lista de contactos telefónicos de pessoas que terão recorrido aos seus serviços nas ultimas semanas causando constrangimento aos visados.

Fonte: Club-k.net

A atitude das brasileiras foi em retaliação a uma exposição que um cidadão angolano fez contra elas pela mesma via. O referido cidadão telefonou a titulo de gozo para elas simulando ser um candidato aos serviços oferecido pelas profissionais solicitando toda informação possível com realce aos preços praticados.

 

De seguida, o cidadão anónimo espalhou, nas redes sócias o áudio do conteúdo da conversa com as profissionais do sexo, anexando imagens de presumíveis fotografias das mesmas retiradas no instagram.

 

“Querem brincar. bricamos todos”, escreveu, no instagram, a brasileira Maria Ribeiro que ajudou na propagação da lista telefonica, em causa.

Episódio idêntico em Portugal

De realçar que um episódio idêntico mas com sentido oposto aconteceu em Abril de 2013 em Portugal. Na altura a imprensa daquele país, niticiou que um grupo auto-intitulado ‘Esposas de Viseu’ em Portugal decidiu denunciar, através de um blogue na Internet, os homens daquela cidade que recorrem a serviços de prostituição. A identificação foi feita através das matrículas dos automóveis que foram vistos nos bairros das quintas do Grilo e do Galo.

 

"Para que as nossas conterrâneas não continuem a ser enganadas por homens porcos que as enganam e tiram da mesa para andarem nas prostitutas da Quinta do Grilo e do Galo, em Viseu. Saiba aqui quem eles são".

 

Esta é a mensagem que podia ser lida num blogue que as ‘Esposas de Viseu’ criaram, e no qual compilam uma lista de matrículas, cores e marcas de automóveis que foram vistos a circular nos bairros do Grilo e do Galo, zonas conhecidas por serem palco de prostituição naquela capital de distrito.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: