Luanda - O ministro da Saúde defendeu, em Luanda, a necessidade de haver em Angola um "movimento científico de cultura médica", quando falava à comunicação social na cerimónia de lançamento da obra "Atlas de radiologia-tórax".

Fonte: JA

José Van-Dúnem salientou ser importante a publicação de obras de imagiologia angolana, reflectindo a realidade do país, e declarou que o livro, com 170 páginas e da autoria dos professores Vasco Sabino da Silva e João Carlos Costa, vai influenciar positivamente os estudantes de medicina, sobretudo os futuros especialistas.

 

O titular da pasta da Saúde insistiu na necessidade de os profissionais angolanos começarem a publicar cada vez mais os resultados do seu trabalho, da sua investigação e sistematização da saúde.

 

“Isso é positivo, porque vai gerar um movimento científico de cultura médica, que vai acabar por reflectir-se no aumento da qualidade dos nossos profissionais e do acesso à bibliografia baseada na realidade angolana”, acentuou José Van-Dúnem.

 

Em sua opinião, a obra está “bem feita”, pelo facto de os seus autores, profissionais com muita experiência, ligados à área assistencial e à docência, terem tido a preocupação de combinar imagens e textos que vão “seguramente influenciar positivamente os futuros especialistas de imagiologia e médicos de clínica geral.” A obra, acrescentou o ministro, é resultado da experiência diária na prática clínica de 30 anos dos seus autores, que contaram com a colaboração de profissionais de vários serviços hospitalares, entre os quais da Clínica Girassol.

 

A obra é o primeiro de oito volumes, cada um deles destinado a uma área da prática médica, publicado pela Editora Bisturi-Angola. A primeira edição tem mil exemplares em português e 500 em inglês.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: