Lisboa – O Deutshe Bank deixou de fornecer as garantias, "clearing", para a importação de dólares norte-americanos para Angola, deixando o país sem nenhuma instituição que forneça este serviço e, por isso, sem acesso total à divisa, avançou nesta sexta-feira, 16, a agência Bloomberg.

Fonte: NJ
Citando fontes conhecedoras deste processo, a agência adianta que o Deutsche Bank deixou de ter esta ligação às autoridades financeiras angolanas em meados de Novembro, o que, depois de a Standard Chartered Plc e do Bank of America terem tomado semelhante decisão, o país ficou literalmente sem este serviço.

 

Com a porta fechada para o acesso à divisa norte-americana, Angola há já alguns meses que tem estado a injectar exclusivamente euros no sistema bancário, sendo a moeda europeia e o yuan chinês as vias escolhidas pelo Banco Nacional de Angola para escapar a este aperto, depois de anos de semi-dolarização da sua economia.

 

O fim do "dólar clearing" pelo Deutsche Bank a Angola surge no seguimento do mau desempenho do país, como recorda a Bloomberg, em questões de combate ao branqueamento de capitais, à ausência de mecanismos de prevenção para a lavagem de dinheiro e à sua posição entre os países mais corruptos do mundo, de acordo com a Transparência Internacional.

 

A Bloomberg adianta que o banco alemão não comentou esta situação, tal como o BNA se recusou a responder às questões da agência.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: