Luanda - Elementos do Ministério dos Petróleos de Angola e do Serviço de Investigação Criminal têm em curso operações para desmantelar, em todo o país, redes que se dedicam à contrafação de produtos derivados do petróleo, que está a crescer.

Fonte: Lusa

"A medida surge devido a crescente proliferação de contrafação de produtos derivados do petróleo que se verifica por todo o território nacional, com maior incidência para a província de Luanda", anunciou hoje aquele ministério.


Não foi adiantada informação sobre eventuais detenções até ao momento.

 

Angola é atualmente o maior produtor de petróleo em África, mas tem de importar grande parte dos produtos derivados devido à reduzida capacidade de refinação existente no país.

 

O ministério liderado por Botelho de Vasconcelos refere que em causa estão óleos lubrificantes introduzidos e comercializados em território angolano, destinados ao uso de veículos ligeiros com motores a gasolina ou a gasóleo e de engrenagens automotivas, entre outros.

 

Além de multas aos prevaricadores, as operações deverão corresponder também a processos criminais.

 

O país vive desde finais de 2014 uma profunda crise financeira, económica e cambial, que tem provocado, entre outros problemas, dificuldades nas importações de vários produtos.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: