Washington  – O general Antônio José Maria é, dentre os seguidores de JES, que mais manifesta inconformado com a ascensão e a candidatura de João Lourenço à Presidência da República, pelo MPLA, nas próximas eleições de 23 de Agosto. A manifestação mais recente aconteceu quando Zé Maria e o seu colega  general Manuel Vieiras Dias  “Kopelipa” tinham  uma reunião  com o ministro da Defesa Nacional, João Lourenço, no gabinete deste. Em última hora, o  governante desmarcou a reunião alegando um outro compromisso.  
 
Fonte: Club-k.net
 
É contra a saída de JES do poder 
 
De acordo com “insiders”, a desmarcação da reunião caiu mal para ambos, sobretudo para o general Zé Maria que não terá conseguido disfarçar a sua irritação.  Para os presentes, foi também sinal de fraqueza do circulo presidencial de JES, tendo em conta que no passado nenhum membro do governo  se atrevia a desmarcar de uma reunião com os generais Zé Maria e Manuel “Kopelipa”
 
 
De acordo com antecedentes, em Março de 2016, este  chefe do Serviço de Inteligência e Segurança Militar (SISM), citado pelo Maka Angola, convocou  um encontro para informar os seus subordinados de que o presidente José Eduardo dos Santos cometeu “um erro grave”, ao anunciar a sua retirada política em 2018.
 
 
Durante o encontro, que se supunha ser de carácter operacional, o general Zé Maria manifestou-se visivelmente irritado com a decisão presidencial, que o terá apanhado de surpresa.
 
 
Já em finais do ano passado, o mesmo, segundo uma reportagem do Club-K,   antecipou-se  em transmitir,  em meios do regime,  a possibilidade de se   retirar   da vida militar ativa caso o Presidente José Eduardo dos Santos (JES)  venha retirar-se do poder. 
 
 
No inicio do presente  mês, o Maka Angola voltou a reportar  que “nas últimas semanas, o chefe do Serviço de Inteligência e Segurança Militar, general José António Maria “Zé Maria”, tem demonstrado cada vez mais o seu desagrado com a nomeação do ministro da Defesa, general João Lourenço, para candidato do MPLA à presidência da República.”
 
 
Oficiais do Ministério da Defesa explicaram ao Maka Angola que o general Zé Maria tem estado a banir a divulgação da campanha de João Lourenço no SISM. “Sempre que a TPA (Televisão Pública de Angola) passa imagens da campanha do João Lourenço, ou apresenta-o a falar, o general manda desligar imediatamente os televisores”, revela fonte do Ministério da Defesa.
 
 
Zé Maria, segundo testemunhos recolhidos por aquele portal,  “acusa o general João Lourenço de ser um mau imitador das promessas do presidente José Eduardo dos Santos e, às vezes, manda buscar gravações ou arquivos de jornal para provar que não há nada de novo nas promessas de João Lourenço que o presidente não tenha antes prometido”, refere uma fonte.
 
 
O general Antônio José Maria é frequentemente citado como  num dos principais focos de divisões e tensões internas que proliferam no regime do MPLA. Porem é   corrente a ideia de que JES lhe perdoa, sistematicamente, aos erros em que incorre devido a convincentes manifestações de lealdade de José Maria, com o qual partilha alguma afinidade.
 
 
Em meados de 2014, o actual  ministro da Defesa Nacional, João Manuel Gonçalves Lourenço, manifestou, a margem de uma  reunião com o Presidente José Eduardo dos Santos, alguma preocupação em relação a intromissão que o general Zé Maria, estaria ter junto do pelouro que dirige.
 
 
Em Setembro de 2016, o  João Manuel Gonçalves,  convocou-o  no seu gabinete para chamada de  atenção  sobre a sua conduta  de ter prendido um dos seus  assistentes  de campo,  tenente coronel João Paulo. O ministro exigiu-lhe a imediata libertação do seu subordinado.
 


DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: