Lisboa – José Eduardo dos Santos orientou a bancada parlamentar do MPLA para aprovar com “carácter de urgência”, um diploma de lei que impede o próximo Presidente da República, a ser eleito, de mexer nas chefias militares, da polícia e do serviço de inteligência.

Fonte: Club-k.net

O  diploma de lei determina a prorrogação dos actuais mandatos – dos chefes dos órgãos em referencia - por mais oito anos consecutivos. Assim sendo, antes de deixar o poder, o actual Presidente José Eduardo dos Santos re-nomeia os atuais chefes dos órgãos de defesa e segurança, para mais um mandato de oito anos, e o seu substituto, a ser eleito nas eleições de 23 de Agosto, fica impedido de alterar as mexidas.


Em Angola, há já sinais de que este diploma a ser aprovado,   possa causar polémica  e controversas. Até ao momento, a UNITA, na voz do seu deputado Kamalata Numa manifestou contra esta proposta por entender que o próximo PR deve trabalhar com pessoas da sua confiança.

 


Há poucos semanas, o MPLA levou ao debate uma outra polémica lei, que propunha que os ex-chefes de Estado passassem a ser “Presidente da República Emérito”. Assim, sendo o país, teria depois  das eleições, duas entidades presidenciais.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: