Luanda - Voltado para o silêncio encontrei-me nas divagações silenciosas, resmungando com o pensamento, questionando-me inúmeras vezes por situações matemáticas do tipo " 1 - 3" onde tal aprendemos no ensino de base que o resultado era "n.t.s" ou simplesmente, não tem solução.

Fonte: Club-k.net

É das coisas que muito gosto de fazer: Pensar. Pensar com a minha própria cabeça e exprimir o resultado orgulhosamente. Quando se pensa sem objeções sentimos o respirar das axilas mentais.

 

O futebol é o desporto mais apreciado em todo o mundo. Eu também gosto muito de futebol. Aprecio as várias Ligas de futebol que sejam possíveis fazer-lo nos canais via satélite ou cabo que ainda nos é permitido. Também quando um dia quiserem tirar, quem de direito não apropriado o fará por cima dos nossos míseros Kuanzas e ninguém refila.

 

Como ia dizendo, gosto de futebol e do futebol português. Sei que eles têm lá umas regras impressionantes e nada agradáveis no meu ponto de vista . Adquirem um determinado número de jogadores que provavelmente não estejam em condições de actuarem na equipe principal do clube que o adquiriu e portanto são emprestados a outros clubes de menor dimensão.

 

Esses jogadores emprestados não podem participar em jogos em que a Equipe que os cedeu faz (pelo menos assim vejo em Portugal) ou é dependente do contrato feito. São emprestados para fazerem "confusão", estragar a festa e desviar atenções.

 

Nos jogos em que participam contra uma equipe candidata ao título, tudo mas tudo fazem para atrasar e/ou impedir mesmo com que a equipe contrária ganhe o campeonato.

 

Parece que em política partidária também é assim. O empréstimo de jogadores e até adeptos para travarem "potenciais" forças políticas a alcançarem o cadeirão máximo é feito "inteligentemente". Aliás política partidária é para inteligentes e artimanhos.

 

Acho que cada um aqui teria capacidades de formar um partido político. Parece que são necessários apenas 5000 assinaturas que coincidentemente é o limite de amigos no Facebook. Tenho amigos que estão Facebookamente preparados para terem um partido político. É com cada coisa que se ouve nestas campanhas políticas que as equipes que participam deixam filósofos e matemáticos pasmados.

 

A nossa política seria uma disciplina que Issac Newton e Albert Einstein reprovariam de certeza absoluta e morreriam de desgosto.

 

Já li que pedra transformou-se em pão, água em vinho, poucos pães e poucos peixes a alimentarem uma multidão mas nunca vi de uma noite pra o dia "milhares" de pessoas simpatizarem-se com alguns partidos políticos que pretendem governar sem ideais claros de "salvação nacional". Se as equipes campeãs, às vezes sentem deus adeptos ameaçarem quando há um desagrado.

 

Afinal há "milagres" em tudo e para tudo".

 

Coitado de nós pacatos que somos obrigados a lidar com "kilopalavras" de despautérios nas médias pondo em risco a sanidade mental e muitas das vezes sem local apropriado para regurgitar o que pela audição foi consumido.

 

Mas este jogo político terá um final feliz para alguns e obrigatoriamente infeliz para os outros. É um jogo em que de certeza não haverá empate.

 

Até lá vamos preparando os corações com orações e muita fé ou desligar tudo, participar no desporto dando cada um o seu voto e esperar o resultado final que seja para a alegria dos adeptos.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: