Luanda - Um grupo de militantes do partido que sustenta o governo, na capital do país, mostra-se insatisfeito com os resultados conseguidos pela direcção do MPLA de Luanda.

Fonte: Manchete
De acordo com alguns militantes ouvidos pelo Manchete, o actual primeiro secretário provincial dos camaradas, Higino Lopes carneiro, não conseguiu corresponder com as expectativas dos militantes na capital.

“O primeiro secretario e a sua equipa, estiveram aquém das expectativas, não conseguiram cobrir a província nem fazer passar devidamente a mensagem”, disse um dos militantes que preferiu anonimato por temer represálias.

De acordo com a mesma fonte o secretariado provincial aproveitou do trabalho de mobilização feito pelo partido ao nível da sede nacional para conseguir este resultado. “se não fosse a equipa constituída ao nível nacional talvez nem um deputado consegueriamos em Luanda”, referiu.

No entender dos militantes do MPLA, na maior praça política nacional, a direcção do partido acordou tarde, ao passo que os seus maiores opositores tomavam de assalto a capital ao seu bel prazer, sem encontrarem nenhum obstáculo.

As fontes entendem ainda que o MPLA “é que manda em Luanda, mas poder deve merecer manutenção para se evitar surpresas desagradáveis, não podemos menosprezar o adversário, os tempos são outros”, considerou.

Higino Carneiro assumiu a liderança do MPLA, em Luanda no ano passado em substituição do então primeiro secretário, Francisco Bento Bento, que tal como referiram as fontes é um “mobilizador e carismático”.

“O trabalho político e de mobilização não pode esperar o período eleitoral, ele deve ser contínuo de acordo com as diretivas do partido, as bases devem estar em constante revitalização, para se evitar surpresas”. Advogou.

JUVENTUDE POUCO INFLUENTE

As nossas fontes referiram ainda que a direcção provincial do JMPLA, “teve pouca actividade o que contribui negativamente nos resultados”.

Os militantes do MPLA, de Luanda que falaram ao Jornal Manchete são de opinião que a JMPLA, “deve ser mais activa, criar mais actividade interativa e patriótica, a liderança deve estar mais proxíma das massas e não ser uma espécie de elite, porque nas urnas quem decide são as massas e não as elites” considerou.

De acordo com as fontes que vimos fazendo referência a JMPLA deve se assumir como a organização que consegue congregar, pois a maioria da população nacional é jovem.

O MPLA em Luanda ganhou as eleições com 1.033.852 correspondente a 48,21% dos votos seguido pelo partido UNITA com 759.858, correspondente a 35,43% votos, a CASA-CE, obteve 313.378 correspondente a 14,61% dos votos,  a FNLA, conseguiu 16.389 correspondente a 0,76% dos votos o PRS conseguiu 12.886 o equivalente a 0,60% dos votos, ficando em último lugar o APN com 8.241 equivalente a 0,38% dos votos.

Com estes resultados o MPLA elege três deputados ao passo que o maior partido na oposição elegeu 2 deputados pelo circulo provincial de Luanda.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: