Luanda - Cinco pessoas são acusadas de tentativa de homicídio do vice-Presidente de Angola por alegadamente terem "estacionado a sua viatura junto à residência de Bornito de Sousa", num condomínio de Luanda, informou hoje o advogado de defesa.


Fonte: Lusa

Sebastião Assurreira disse à agência Lusa que os homens estão detidos desde sábado, altura em que estariam a transportar material de construção para obras de reabilitação numa das residências do condomínio Jardim de Rosas.

 

"Chegaram e estacionaram a viatura próximo a residência do vice-presidente da República, os guardas que lá se encontravam foram ter com eles e na sequência foram detidos, conduzidos a uma esquadra móvel para serem interrogados, porque haviam estacionado a viatura naquele espaço", disse.

 

Segundo a defesa, uma outra patrulha surgiu depois e disse ter encontrado uma arma e uma catana na viatura.

 

"Eles ficaram espantados e responderam que havia apenas no carro material de construção, porque foram contratados para fazer obras naquele local", contou Sebastião Assurreira.

 

O advogado disse ainda que os seus constituintes sofreram "agressões e coações físicas por parte dos efetivos da Unidade da Guarda Presidencial (UGP) e da Polícia Nacional", e apenas na terça-feira foram ouvidos.

 

"Os jovens estão detidos na esquadra do Talatona e foram apenas ouvidos ontem (terça-feira) pelo procurador e estão com o corpo inchado e com hematomas devido à agressão física de que foram alvo durante a detenção", explicou.

 

Na sequência da reunião que manteve com os familiares dos jovens, o advogado disse que vai manter um encontro ainda hoje com o instrutor do processo.

 

"Juntamos já a procuração, vamos procurar ter contacto com o instrutor do processo e vamos ver de concreto o participante e as declarações, e só depois teremos uma ideia geral se o participante é uma pessoa anónima ou então uma pessoa de facto identificada", concluiu.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: