Luanda. - O Presidente da República de Angola, João Lourenço, deverá realizar este ano uma visita de Estado a Cabo Verde, além de participar na cimeira da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), prevista para julho no país.

Fonte: Lusa

A informação foi avançada hoje, em conferência de imprensa, na cidade da Praia, pelo ministro dos Negócios Estrangeiros e das Comunidades de Cabo Verde, Luís Filipe Tavares, que na quinta-feira terminou uma visita oficial a Angola.

"O Presidente João Lourenço virá a Cabo Verde ainda este ano em visita de Estado e virá em julho para a cimeira da CPLP, em que Cabo Verde vai assumir a presidência. A participação na cimeira da CPLP já está confirmada e haverá uma visita de Estado em data a combinar", disse Luís Filipe Tavares.

O chefe da diplomacia cabo-verdiana acrescentou que Cabo Verde está a apontar a realização da cimeira para os dias 17 e 18 de julho, devendo a visita de Estado realizar-se em data posterior.

As duas deslocações de João Lourenço a Cabo Verde respondem a convites feitos pelo Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, de que Luís Filipe Tavares foi portador na sua deslocação a Angola.

A visita do chefe da diplomacia cabo-verdiana serviu também para preparar a viagem àquele país do Primeiro-Ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, previsivelmente em abril.

A deslocação do chefe do Governo cabo-verdiano a Angola será a primeira que fará a um país africano.

Fazendo o balanço da visita, Luís Filipe Tavares destacou o compromisso de Angola de começar a aplicar, ainda este mês, o acordo de isenção de vistos para cidadãos cabo-verdianos, assinado em 1997 e que Cabo Verde já estava a aplicar para os cidadãos angolanos.

"O Presidente da República disse-me que irá assinar nos próximos dias um decreto para a implementação deste acordo de isenção de vistos, que é uma reivindicação antiga da comunidade cabo-verdiana em Angola", disse.

Luís Filipe Tavares assinalou ainda a "decisão política" de retoma dos voos entre Cabo Verde e Angola.

"Vamos pôr as duas companhias aéreas a trabalhar rapidamente para encontrarem uma solução técnica viável, mas o importante é que há uma decisão política", disse.

No domínio da cooperação, Luís Filipe Tavares apontou o interesse angolano em continuar a dar formação às Forças Armadas cabo-verdianas, o pedido para envio de professores cabo-verdianos e a colaboração de Cabo Verde na estruturação do poder local em Angola.

"Há uma grande cumplicidade, há uma grande relação de confiança e os próximos tempos vão ser extremamente interessantes para os dois países", disse.

Durante a visita, Luís Filipe Tavares deixou também garantias de apoio a uma eventual candidatura de Angola a um lugar permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: