Luanda – No dia 05 de Maio de 2018, foi  assinado em Luanda o contrato de aquisição de 6 (seis) aeronaves do tipo Q400. O referido contrato foi  assinado pelo novo operador de transporte aéreo angolano, empresa denominada AIR EXPRESS – TRANSPORTE AÉREO S.A,  e a fabricante canadiana BOMBARDIER.

Fonte: Club-k.net
Nos termos do contrato, a Bombardier compromete-se em formar 25 assistentes de bordo para a “AIR CONECTION EXPRESS – TRANSPORTE AÉREO S.A”.  A empresa canadiana formará também dois instrutores para garantir a continuidade do treinamento de assistentes de bordo para a “AIR CONECTION EXPRESS – TRANSPORTE AÉREO S.A”, quando normalmente só seriam formados 12 assistentes de bordo na compra de 6 aeronaves.

 

Quanto ao recrutamento da equipa de gestão e do pessoal técnico, a Bombardier compromete-se em formar até 55 pilotos da “AIR CONECTION EXPRESS – TRANSPORTE AÉREO S.A” no Tipo Q400, quando o normal para a aquisição de 6 aeronaves deste tipo seriam 36 pilotos.


A Bombardier compromete-se a dar formação a 40 mecânicos bivalentes, mecânicos e aviônicos em vez dos normais 25.

 

A Bombardier garante a presença de um representante de campo em Angola pelo período de 36 meses, (quando o normal seriam 12 meses), de forma a assegurar o inicio da operação da “AIR CONECTION EXPRESS – TRANSPORTE AÉREO S.A”.

ESCOLHA DA AERONAVE

A escolha deste modelo de aeronave regeu-se ao facto de ser a mais adequada em termos de performance e economia para o nosso mercado e estrutura de rotas.

As grandes empresas do continente africano como a Ethiopian Air Lines e a South African Express são operadoras de referência deste modelo, sendo que a Ethiopian Air Lines já opera 25 destas aeronaves e assinou na passada semana um contrato para aquisição de mais 15 aeronaves.

BOMBARDIER GARANTE MECÂNICOS PARA AS AERONAVES

A fabricante canadiana garante igualmente a presença de mecânicos para trabalhar nos aviões e dar formação em serviço aos técnicos angolanos 16 meses / homem, de forma a assegurar o início da operação da “AIR CONECTION EXPRESS – TRANSPORTE AÉREO S.A” , quando o normal seria somente a formação inicial dos mecânicos. A empresa garante a assistência em Angola de pessoal técnico da fábrica para as primeiras duas grandes inspeções chamadas “Check-C".

 

Para o arranque da operação da “AIR CONECTION EXPRESS – TRANSPORTE AÉREO S.A” , a Bombardier assegura a presença de instrutores da fábrica, quer a nível de mecânicos quer pilotos e assistentes de bordo, para um período de 16 meses / homem, que pode ser utilizado e ajustado conforme necessário, quando o normal para esta operação seriam somente 9 meses / homem.

SUBSCRIÇÕES TÉCNICAS

A Bombardier “oferece” livre de qualquer custo pelo período de 5 anos todas as subscrições técnicas referentes a Bombardier e garante auxílio para que todos os outros fabricantes envolvidos na fabricação do avião, como sendo  Pratt na Withney Canada para os motores que já concordou em dar o mesmo suporte e Dowtey para as Hélices e Honeywell para o APU ofereçam o mesmo serviço livre de qualquer encargo pelo mesmo período, o que fará com que os custos de operação da “AIR CONECTION EXPRESS – TRANSPORTE AÉREO S.A” sejam mantidos ao mínimo possível.

PEÇAS DE REPOSIÇÃO

A Bombardier compromete-se em avaliar a possibilidade de fornecer peças de reposição dos 20 itens que têm maior incidência de falhas a consignação até um montante de USD 1,800,000,00, criando assim o primeiro armazém de peças da Bombardier na África Austral.


Outro compromisso assumido pela Bombardier foi também que não irá penalizar o consórcio com juros de mora e ou outras penalizações causadas pelas demoras nas transferências de divisas, devido a situação actual que o pais (Angola) vive, tendo condicionado somente a entrega de cada aeronave à recepção dos fundos referentes as aeronaves a entregar.

SURGIMENTO DO NOVO OPERADOR

Importa aqui realçar que a criação do novo operador doméstico não põe em causa a actividade dos actuais operadores de transportes aéreos privados que, pese embora possam participar no constituição daquela sociedade, manterão a sua actividade.

 

Foi feito o benchmark para a obtenção de modelos de referências. Foram analisados modelos de operadores “feeders” existentes: na África do Sul, Estados Unidos, Brasil, Portugal e Austrália:

POTENCIAL DE ESTRUTURA SOCIETÁRIA DO NOVO OPERADOR AÉREO.

O Novo operador aéreo é avaliado em 143 milhões e quatrocentros mil dólares norte americanos na perspectiva de compra das aeronaves modelo DH8-Q400;

Esta opção pressupõe a aquisição de um financiamento puro em que a perspectiva é que as aeronaves sejam adquiridas na sua totalidade, e façam parte dos activos da AIR CONECTION EXPRESS – TRANSPORTE AÉREO S.A.

 

Método que apresenta uma grande flexibilidade financeira, e que pressupõe um valor residual da aeronave no final do contrato de locação, podendo consoante opção passar a ser propriedade da “AIR CONECTION EXPRESS – TRANSPORTES AÉREOS S.A” mediante pagamento de valor final.

 

Este financiamento está a ser montado por um sindicáto bancário composto e liderado pelo Banco BNI a nível local e pelos Bancos de Desenvolvimento Afrexim, sediado no Egipto e EDC – Export Development Canada, sendo que nas devidas proporções o BNI e o Afrexim, financiarão o PDP e a dívida “junior” e o EDC financiará a dívida “sénior”. Sendo que está garantido 90% do capital para a aquisição das aeronaves e havendo a necessidade de aporte de capital por parte dos accionistas do valor de 10% do capital e há a necessidade apresentação de garantia soberana para asseguramento do financiamento.

CUMPRIMENTO DOS REQUISITOS LEGAIS

Quanto ao cumprimento dos requisitos legais, subscrevem o Memorando de Entendimento as seguintes empresas: TAAG, ENANA, BESTFLY, AIR JET, AIR 26, AIR GUICANGO, DIEXIM , SJL e MAVEWA.

 

As empresas decidiram constituir uma sociedade anónima para implementação do Novo Modelo para a Operaçõ de Transporte Aéreo Doméstico, que se denomina AIR CONNECTION EXPRESS-TRANSPORTES AÉREOS, S.A.

COMISSÃO INSTALADORA

Foi criada a Comissão Instaladora que representará a sociedade, AIR CONNECTION EXPRESS-TRANSPORTES AÉREOS, S.A, no exercício dos seus actos legais até o momento da tomada de posse do corpo directivo.

 

No âmbito do Memorando de Entendimento, a sociedade observará:


a) A estratégia de criação de um hub regional em Luanda garantindo fluxos de feeding e defeeding entre a operação doméstica.

b) Melhoria do serviço prestado aos passageiros nacionais, criando condições para aumentar a rede de destinos operadas  ponto-a- ponto e o número regulares de frequências semanais realizadas em paralelo, melhorar a qualidade de serviços em todos os pontos de contacto com o cliente.

c) Sustentabilidade financeira do novo operador doméstico, conseguida através do desenho de uma operação eficiente, gerida por uma equipa com perfil executivo e reconhecida competência técnica.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: