Luanda - CARTA ABERTA PARA EMPRESÁRIOS ANGOLANOS: SOS UNIÃO TOLERÂNCIA LINGUÍSTICA

Assunto: Campanha de apoio à União Tolerância Linguística

Exmos. Senhores,

Nós, União Tolerância Linguística, um movimento linguístico que procura compreender, explicar e analisar certos fenómenos linguísticos, tomamos a liberdade de nos servir desta missiva para solicitar apoio ou patrocínio para publicação do nosso livro intitulado Enxaguando a língua ensaboada - Lições de gramática e linguística portuguesa(s).

 

Enxaguando a língua ensaboada - Lições de gramática e linguística portuguesa(s) é um livro que, para além de servir como corrector gramatical e sociolinguístico do livro Ensaboado & Enxaguado - Língua Portuguesa & Etiqueta, de José Carlos de Almeida, jurista, professor e autor angolano, surge como um instrumento defensor e promotor, embora não tenha uma gramática externalizada, do Português Angolano, língua materna de muitos, aquele português falado por uma boa parte de angolanos, letrados ou não, em situações formais ou não.

 

Surge, também, para demonstrar aos demais puristas e conservadores dos dogmas da velha tradição gramatical que, conforme refere o linguista Bagno, ‘’nada na língua é por acaso’’ e que ‘’o modo estranho de falar uma língua tem, do ponto de vista das ciências sociais, uma explicação’’ que não se prende unica e exclusivamente ao correcto e ao errado, ao sim e ao não, algo que, para D’ Silvas Filho (2011), somente diz respeito à Ética.

 

Para além da questão sobre a variante angolana do português, aborda também assuntos atinentes ao preconceito linguístico e à forma como muitos, aqueles que não se enquadram ao padrão linguístico estrangeiro e externo, são excluídos de certos convívios sociais por demonstrarem alguns ‘’falares’’ diferentes do habitual, fruto, nalguns casos, das interferências das línguas bantu locais e de algumas patologias da linguagem; apontando, por fim, alguns promotores de tais acções desumanas.

 

É um pequeno livro que faz uma mini-abordagem acerca daquilo que em Angola se fala e que é tido por muitos, lamentavelmente, como um crime, um lixo, sinónimo de desaculturação linguística, falta de boca, falta de escolaridade, falta de gramática, atentado, transgressões lexicais, semânticas, morfossintácticas, desrespeito, delinquência linguística, etc., explicando, finalmente, alguns fenómenos linguísticos mais recorrentes em Angola.

 

Tentamos contactar vários mecenas possíveis (desde entidades públicas e privadas), mas todas as respostas foram negativas. No seguimento de várias respostas negativas nesse sentido, tivemos a iniciativa de levar a cabo esta campanha de recolha de fundos de modo a permitir a edição e publicação deste livro [escrito há mais de três anos], um instrumento defensor e promotor, embora não tenha uma gramática externalizada, do Português Angolano, língua materna de muitos.

 

A publicação do nosso livro Enxaguando a língua ensaboada - Lições de gramática e linguística portuguesa(s) muito fica a depender do êxito desta campanha, por cuja adesão deixamos o nosso mais profundo agradecimento, Excelentíssimos Senhores Empresários Angolanos.

 

Para vossa informação, destinada a ajudar a publicar o livro em causa, fazemos o favor de lhes dizer quantas páginas tem o nosso livro, qual a tiragem pretendida e quanto nos pediram para o publicar, incluindo, claro, capa e encadernação:

 

Tiragem pretendida: 1.000,00 exemplares; características do livro: miolo com 90 páginas; formato fechado: 240x170; capa: em cartolina couché c/ plast. mate frente; brochado; c/ abas; valor que nos pediram para o publicar: AKZ 1.430.000,00 (um milhão e quatrocentos e trinta mil kwanzas).

O nosso obrigado pelo donativo, que pode deixar seguindo a instruções abaixo indicadas.

NÚMERO DE CONTA
9138.1722.10.01.
IBAN
0040.0000.9138.1722.1014.6
CONTACTOS:
TELEMÓVEIS: 945 525 782/948 000 573
E-MAIL: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. PÁGINA/FACEBOOK: União Tolerância Linguística - UTL


A todos, os nossos agradecimentos.

Luanda, 15 de Maio de 2018

Subscrevemo-nos,

Alberto, o Littera-Lu

Caetano Cambambe

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: