Militantes da UNITA suspeitam que direcção do partido não quer realizar Congresso

Luanda -  Uma corrente no interior da UNITA suspeita  que a direcção do partido venha em tempo oportuno embargar a realização do congresso anunciado para 2011. Os receios estão elucidados no depoimento de três diferentes fontes que falaram na condição de anonimato.


Fonte: Club-k.net

 

Diz a fonte que “Para quem não esteve na Reunião da Comissão Política da UNITA e lê o Comunicado Final da mesma ou escuta na Rádio a leitura do mesmo, pensa que tudo foi uma maravilha. O ponto mais polémico desta reunião foi a questão do Congresso” .

 

De acordo com a fonte  “As semanas que antecederam a realização desta reunião, Samakuva, Numa, Savihemba, Maluka, Chitombi e Chilingutila desdobraram-se nas Províncias, com o intuito de incutir nas mentes dos Secretários  Províncias para se pronunciarem contra a realização do Congresso durante  a Reunião da Comissão Política, sob pretexto de que as condições políticas não o permitem e as massas militantes da UNITA recomendam que a actual direcção deve continuar.”

 

“Assim aconteceu, todos os Secretários Provinciais pronunciaram-se contra a realização do Congresso, mas em contra partida, encontraram posição contraria da maioria esmagadora dos quadros dirigentes da UNITA que são a favor da realização do Congresso.” Disse.

 

 “o que é que pretende com isto Samakuva e seus seguidores?”  questiona um segundo interlocutor lamentando que a suposta acção dos dirigentes do partido em embargarem o congresso calha numa altura em que duas semanas antes do congresso o líder do partido teria falado a Radio Ecclésia que dois mandatos lhe eram suficientes e que passaria testemunho a pessoa que seria eleita em congresso.

 

“O que se verifica é um jogo sujo, que vai mesmo manchar a sua imagem. Agora o que vai acontecer se Samakuva não convocar o Congresso,  os Quadros e Militantes da UNITA vão fazer recurso ao Tribunal Constitucional, informando que a actual Direcção está a dirigir os destinos do Partido de forma ilegal, por não se verificar renovação de mandatos.”, advertiram.

 

“Se formos a analisar, estes indivíduos que não poupam esforços na manutenção de Samakuva no Posto de Presidente da UNITA, não defendem nada a favor do Partido, a não ser os seus próprios interesses, os seus lugares. Assim, a UNITA estará a deitar para o caixote de lixo todo o exercício democrático realizado.”, observaram.

 

Na visão destes militantes   “A UNITA só continuará a dar lições de democracia se cumprir com as realizações dos congressos, conforme os estatutos regem e haver alternância na presidência do Partido. Agora manter o Samakuva de forma perene como Presidente, a UNITA estará a marcar o golo na sua própria baliza e ninguém vai acreditar nela.”

 

Esta corrente de militantes recorda que “O Dr. Jonas Malheiro Savimbi manteve-se Presidente por muitos anos, desde a fundação até a sua morte, porque se  justificava. Primeiro ele era o fundador e tinha os seus objectivos a atingir e segundo estava a conduzir uma luta complexa que mesmo que quisesse largar o seu lugar, ninguém se comprometeria em assegurar.”

 

Advertem que  “A UNITA precisa urgentemente mudar a sua direcção e só fazendo isto é que poderá ter pernas para marcar passos a frente. A maioria esmagdora dos militantes aguardam por este momento solene, e como prova disto a maioria dos militantes recusam-se em pagar quotas enquanto durar o mandato de Samakuva”.






Debate este tópico nas redes sociais:

Comente via Facebook, Hotmail, Yahoo ou AOL!




Debate este tópico no Club-K:

Comente no Anónimato (sem iniciar sessão) ou via Redes Sociais (Facebook, Twitter, Google ou Disqus)!

Quem Somos

CLUB-K ANGOLA

CLUB-K.net é um portal informativo angolano ao serviço de Angola, sem afiliações políticas e sem fins lucrativos cuja linha editorial consubstancia-se na divulgação dos valores dos direitos humanos, educação, justiça social, analise de informação, promoção de democracia, denuncias contra abusos e corrupção em Angola.

Informamos o público sobre as notícias e informações ausentes nos canais informativos estatal.  Proporcionamos ao público uma maneira de expressar publicamente as suas opiniões sobre questões que afectam o dia-a-dia, qualidade de vida, liberdades e justiças sociais em Angola... Leia mais

Contactos

 

  • E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

  • WhatsApp: (+244) 918 512 433 Para uso no aplicativo WhatsApp apenas!

  • Angola : (+244) 943 939 404 

  • Reino Unido : (+44) 784 848 9436

  • EUA: (+1) 347 349 9101 

Newsletter

Assine a nossa Newsletter para receber novidades diárias na sua caixa de e-mail.

INSERE O SEU E-MAIL

// TAG FOR ADVERTISEMENT