Luanda - Lukamba Gato já respondeu positivamente ao apelo dos «contestatários», dizendo: «presente »! O antigo Secretário-Geral da UNITA ao tempo de Jonas Savimbi e que, a partir de 4 de Abril de 2002, trouxe o estandarte da democracia interna naquela organização, admitiu em declarações exclusivas ao Semanario Angolense que apoia os militantes que reivindicam a resolução dos problemas internos com que se debate o «Galo Negro».


*Jorge Eurico
Fonte: Semanario Angolense

«Gato» e Chivukuvuku  em sintonia

«Compreendemos o estado de espírito dos quadros que se estão a manifestar contra a actual direcção e estamos disponíveis a ajudar a resolver os problemas.


Os mais velhos citados neste memorando têm de assumir as suas responsabilidades para que a situação que se está a viver na UNITA não se alastre por mais tempo. Precisamos de encontrar a estabilidade política interna», disse.


O dirigente do «Galo Negro» afirmou, por outro lado, que negar a existência de uma crise interna no seu partido é fazer a política de avestruz (colocar a cabeça debaixo da areia) e realça a necessidade de se promover um debate aberto sobre os problemas do partido. «É preciso coragem e seriedade para se trazer estas questões à mesa. É chegado o momento da UNITA afirmar-se», sublinhou.


Sobre os rumores segundo os quais deverá haver uma «mão estranha» por detrás dos problemas que afligem o «Galo Negro», Lukamba Paulo «Gato» refutou tal possibilidade, dizendo que não há forças ocultas aí.


O SA apurou, entretanto, juntos de fontes bem colocadas na UNITA que «Gato» e Chivukuvuku estão em sintonia no que à revolução que se pretende naquelaformação política diz respeito. ■



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: