A Voz do Club

Club-k: Feliz natal e um ano novo cheio de concretizações

Luanda - Com esta nota o Club-k agradece a cooperação de todos os "membros" desta família pelo suporte e carinho que nos têm dedicado. O Club-k so existe porque representamos a voz do povo e demos voz a quem não tem.

 

Fonte: Club-k.net

 

É com este sentimento de carinho e amor que retribuímos a todos queles que dia a dia  têm visitado este portal, aqueles que nos têm enviado matérias ou cartas de suporte e criticas.  Enfim, a todos incluindo organizações que suportam a nossa dedicação.

 

Se aproxima o ano de 2016 e como sempre todos os anos novas perspectivas e planos sao traçados. É neste contexto de ambições pessoais e grupos que desejamos a todos muito sucesso no novo ano que se aproxima.

 

Muito amor e carinho a moda de Angola

 

P/l
Direcção
Club-k.net

Adenda sobre o artigo “Ministro Bornito culpa activistas pelo lixo”

Lisboa - Retificação: O Club-k vem por este intermédio clarificar e ao mesmo tempo assumir o lapso técnico sobre o artigo intitulado “Angola: Ministro Bornito culpa activistas pelo lixo .”


Fonte: Club-k.net


Após uma investigação atenta e cautelosa sobre o artigo em questão a direcção do Club-k concluiu que a passagem “Bornito de Sousa, acusou na última sexta-feira, alguns activistas angolanos de serem os responsáveis pelas montanhas de lixos que se encontram espalhadas em todos municípios de Luanda, inserido no artigo em análise foi uma interpretação infeliz do editor do artigo que publicou a referida peça sem uma prévia consulta e análise final por parte de um dos editores principais deste portal.


Assim sendo, e sem rodeios apresentamos humildemente as nossas sinceras desculpas aos internautas e especialmente ao Ministro Bornito de Sousa.


Para terminar transcrevemos a íntegra a versão final da ANGOP sobre este tema:


Ministro da Administração do Território recomenda mais trabalho para estancar o lixo
Luanda - O ministro angolano da Administração do Território, Bornito de Sousa recomendou hoje, sexta-feira, ao Governo Provincial mais trabalho para, num curto prazo, com vista a estancar rapidamente a situação dos amontoados de lixo em Luanda.

“Devemos trabalhar para que num curto prazo possamos estancar rapidamente esta situação, enquanto vai se regularizando e normalizando o quadro de recolha dos resíduos, a partir dos bairros ou distritos urbanos”, considerou.
O conselho do governante foi transmitido no final de uma reunião promovida pelo Governo Provincial de Luanda, onde com administradores municipais e presidentes de centralidades, analisaram a questão da actual situação de limpeza da cidade.


De acordo com Bornito de Sousa, deverá se tornar mais eficaz a colaboração e o diálogo com as populações sobre o tratamento, locais onde são colocados os resíduos e a forma como isso é feito.


Considerou também necessário se organizar melhor o trabalho das operadoras e igualmente, obter a cooperação de empresas, instituições que existem nos vários municípios, no sentido de colaborarem, particularmente nesta primeira fase em que é preciso uma acção de “choque” para se regularizar a situação.


Entretanto, disse constatar com satisfação esforços por parte GPL, administrações municipais e centralidades, no sentido de resolver a questão do lixo.


O ministro lamentou o facto de algumas pessoas ligarem o quadro dos resíduos sólidos com o lançamento do novo modelo, que disse ter sido apenas uma infeliz coincidência, assim como a auditoria para ver na realidade, a capacidade de desempenho das empresas que estavam a operar, tendo muitas delas sido desqualificadas.


Outra coincidência tem a ver com a redução drástica das receitas do petróleo.


Nesta reunião ficou esclarecido que as administrações municipais vão gradualmente retomar e regularizar a situação, a medida que forem normalizados os pagamentos e o enquadramento de empresas para realizar esta tarefa.
“O problema dos resíduos sólidos é de âmbito local e deve contar com a comparticipação de todos, no pagamento de taxas para recolha do lixo e na educação da população em relação a forma como tratam os detritos e os locais onde devem colocá-lo”, apelou.


Disse ter-se apercebido por via das redes sociais, que alguns cidadãos têm depositado deliberadamente lixo em locais impróprios, no sentido de passarem uma imagem cada vez pior da cidade, tendo apelado a colaboração de todos para a inversão desse quadro.

Club-k.net: Nota de esclarecimento sobre o artigo de José Ribeiro

New York - Resumo: Esclarecer a comunidade nacional e internacional sobre os actos de calúnia e difamação propagados no Jornal de Angola no artigo intitulado “Um terreno sem justiça e nem lei” assinado pelo director geral José Ribeiro. “O “Club-K” está dentro desse mundo do terrorismo mediático e criminoso internacional”, sintetiza o director. É desta tese que esclarecemos o seguinte:

Fonte: Club-k.net

O contraditório não existe no Jornal de Angola

Foi através do Club-k.net que o caso “Cassule e Kamulingue" chegou a ser tema de análise em vários parlamentos europeus e americanos. Foi ainda deste portal que as impunidades e maus-tratos existentes na cadeia de Viana foram revelados. Foi igualmente através deste espaço que a lei do contraditório ganhou azo em Angola e articulistas e políticos como João Pinto e Ismael Mateus trocam ideias e posteriormente retomados em diversos formatos nas redes sociais.

Portanto, a lista das denúncias publicadas neste portal ao serviço de Angola em vários níveis e áreas são infinitos partindo do princípio que em mais de 12 anos de existência, a missão primária desta agremiação primou-se em dar “voz aquela classe” descriminada e sem espaço nos órgãos públicos em Angola.

É neste vertente de pluralidade de pensamentos que se promoveu o espaço do contraditório associado ao novo fenómeno de informar. Infelizmente alguns “matutinos” nacionais optaram em manter-se no passado com um modelo semelhante a -panfletos políticos.

Contrariamente como afirma o director do Jornal de Angola, os “animadores” do Club-k não são traficantes ou assassinos “do bom-nome, da honra de pessoas e das instituições angolanas”. Os membros deste portal são “tão angolanos” como José Ribeiro, mas com uma visão progressista diferente sobre os moldes de informar neste século digitalizado.

A título de exemplo, o Club-k.net acredita que um órgão público como o Jornal de Angola deveria pautar em servir a população e não favorecer um específico partido político. E para tal os jornalistas teriam que ser munidos com princípios imparciais e não partidarizados.

Para finalizar, o director geral do Jornal de Angola, José Ribeiro, foi infeliz quando afirmou que o “Club-K” está dentro desse mundo do terrorismo mediático e criminoso internacional”. O Club-k.net é reconhecido a nível mundial como um espaço, por excelência, para documentação e estudo sobre Angola.

É assim que centenas de instituições filantrópicas e governos a nível mundial consultam diariamente este espaço. E mas, cerca de um milhão de visualizações diárias de angolanos a nível nacional e diáspora consultam o Club-k.net e outras plataformas desta organização. A causa primária do sucesso do Club-K é simples de justificar. Infelizmente, o contraditório não existe no Jornal de Angola.

 Artigo relacionado:

Um terreno sem justiça e nem lei - José Ribeiro

Club-k: Votos de festas felizes

Lisboa - “Melhor do que todos os presentes por baixo da árvore de natal é a presença de uma família feliz.” Esta família tem como nome próprio Club-k.net

 

Fonte: Club-k.net

 

Um feliz dia da família e “um ano novo repleto de coisas boas" são os votos da direção do Club-k para todos os internautas que dia-a-dia directa ou indirectamente tem suportado este espaço virtual.

 

Muito amor.  Muita paz. E muita prosperidade!!!!

 

Club-k responde Henrique Miguel “Riquinho”

Luanda - Advertimos que o texto a seguir contém palavras inapropriadas. “Você é do club-K vai para o caralho e não necessito de conceder entrevista nenhuma para dar a minha versão porque eu tenho um jornal aonde posso publicar o meu parecer desabafou Riquinho em Fevereiro do corrente ano via telefone, para acrescentar que vocês do Club-K foram comprados e estão ao serviço do MPLA”.

Fonte: Club-k.net

“Eu tenho dinheiro e sou rico. Tenho casas de luxo em Angola, no Brasil e em Portugal”, gritava do outro lado da linha o reconhecido empresário Riquinho, aquando da solicitação de uma entrevista em Fevereiro do corrente ano.

Mais adiante provavelmente por falta de adjectivos qualificativos, sem pedir licença com diz os princípios de boa educação simplesmente desligou o telefone, mais antes disse aos berros: Eu sou o único empresário que reuniu cantores como Bonga, Tetalando e outros que viviam na diáspora e os conectei com o MPLA.

Aproximadamente 5 minutos mais tarde depois de ter desligado o telefone, Riquinho ligou de volta. E a conversa não mudou de tonalidade e tão pouco de adjectivos.

O representante do Club-K não teve outra alternativa senão desculpar-se e solicitar uma conversa oportunamente porque não era possível ter uma diálogo construtivo e os termos levianos que Henrique Miguel “Riquinho” usava nem sequer podemos transcrever na íntegra.

Portanto, a direcção do Club-K condena imperiosamente a carta de resposta publicada neste portal intitulado "Riquinho responde: “Quanto á alegada agressão foi apenas um correctivo e não agressão” e a peca publicada no Jornal Independente com o título "Club-K perde credibilidade":

-   “O seu slogan notícias imparciais e balanceadas de Angola” já não tem feito jus” - Riquinho
 O argumento acima transcrito simplesmente não corresponde com a verdade dos factos. A direcção do Club-K o contactou com o propósito de o entrevistar e informar com rigor, imparcialidade e balancear  os factos e ao mesmo tempo promover a lei do contraditório

- Club-K perde credibilidade - Jornal O Continente

Estatísticas da GOOGLE analytics e outros sites com o mesmo propósito simplesmente provam ao contrário a tese de Riquinho. A título de exemplo, em menos de 1 mes o FACEBOOK do Club-K teve um aumento de mais de 50 mil gostos. Porém, o número de aderentes ao portal e comentários teve um aumento de cerca de 20% nos últimos 3 meses.

- Os comentários inseridos no artigo publicado no  “Jornal O Continente : Club-K perde credibilidade

Com má fé, tendência manipuladora e sem rigor profissional, o  “Jornal O Continente” simplesmente seleccionou aqueles comentários em defesa do Riquinho com o intuito de formatar os leitores como se fossem os únicos comentários inseridos no artigo. Contrariamente ao Jornal Continente, solicitamos aos internautas consultarem em primeira mão todos os comentários inseridos no artigo clicando neste link: Riquinho responde: “Quanto á alegada agressão foi apenas um correctivo e não agressão”

Dito isto, é lamentável, inacreditável a falta de bases de sustento os artigos assinados pelo empresário Riquinho. É também lastimável e vergonhoso a conversa que Riquinho teve com um dos colaboradores do Club-k. Tudo isso evidência que estamos perante "dois" mundos opostos e difícil de se chegar uma plataforma de entendimento e só nos resta fazer uso do popular slogan deste portal: " Nos reportamos, Você decide".

Assim sendo, os leitores são livres de tirar as suas conclusões com base nos pontos supra citados e de outras ocorrências recentes atinentes ao Sr. empresário Riquinho.

Club-k.net: Interrupções por manutenção no site

Luanda  - O site estará em manutenção durante as próximas 72 horas para melhorias quanto à visibilidade de informações.


Fonte: Club-k.net

Consequentemente, durante este período o portal terá breves interrupções e enquanto isso poderá manter-se informado visitando o Facebook ou Twitter do Club-k.

 

Agradecemos a operação


P’la
Info/Club-k.net
Maio 30, 2013

Nota técnica: Club-k faz actualizações no portal

Lisboa - A presente nota técnica visa esclarecer que nos últimos dias o  Club-k tem canalizado os seus esforços no sentido de incluir novas ferramentas de ponta no portal com o propósito de melhor servir todos que aderem a este portal.


Fonte:  Club-k.net


O responsável máximo  que coordena a manutenção  garante que estão a ser feitos todos os esforços para apresentarmos os resultados desejados muito breve e reconhecemos que alguns serviços não estão a operar a 100 por cento neste momento.


Agradecemos atempadamente a cooperação


P’la direcção
Club-k.net/Info

FORDU saúda Club-K pelos “12 anos de resistência e denuncia contra a tirania”

Huambo - O FORDU e o colectivo de seus membros e amigos, distribuídos nas Províncias do Huambo, Namibe, Benguela e Luanda, têm a honra e a incomensurável satisfação de apresentar os mais profundos PARABÉNS ao CLUB-K e o seu corpo de gestores por celebrar 12 anos de resistência e denuncia contra a tirania, o autoritarismo, a injustiça, a desinformação, a promoção intencional do obscurantismo, a delapidação da moral na sociedade angolana. CLUB-K É O GRITO UNÍSSONO DOS OPRIMIDOS EM BUSCA DA TERRA PROMETIDA.

Fonte: FORDU

Nos tempos que correm em Angola, totalmente enevoada pelo totalitarismo, pela corrupção, pela falta de transparência.

Nos tempos que correm em Angola onde a justiça é a prerrogativa individual de quem possui dinheiro para a comprar,  matando socialmente inocentes oferecendo liberdade a tiranos, nos tempos que correm  em Angola onde a vida e a morte é decidida por quem possui armas e dinheiro

Nos tempos que correm em Angola onde o consumismo é um laço que amarra e arrasta para o abismo todas as virtudes morais.

Angola um país onde os valores autoritários, muitas vezes exacerbadas para ditaduras,  endossadas por uma justiça injusta, são exaltados dia após dia.

A Nação Angolana no conjunto de seus cidadãos mais oprimidos, selectivamente destruídos, pisoteados, vilipendiados, vituperados só porque pensam de forma diferente.

A Nação Angolana, conjunto de seus cidadãos excluídos de seus direitos fundamentais embebedados a consciência para não pensar; desterrados de seu solo pátrio, vivendo como estrangeiros indesejados em suas próprias terras,

A Nação Angolana no conjunto de seus cidadãos encobertos de nuvem de obscurantismo para não questionarem o rumo desastroso do país,

O CLUB-K é um farol que ilumina o caminho para que os cidadãos sedentos de liberdade, sedentos de justiça, sedentos de paz social, sedentos de inclusão social, enxerguem o caminho e busquem o horizonte mais iluminado.

O CLUB-K é a estrela que aponta o caminho em busca de uma paz social autêntica e não a paz dos canhões que nos vem encomendada como receita de cozinha. Buscamos com o CLUB-K os nossos verdadeiros pontos cardeais e não a obediência doentia e cega  que arrasta perigosamente a Nação inteira para um precipício e que todos fingem não verem.

Um único CLUB-K pela sua qualidade, coerência, acutilância, persistência, incorruptibilidade supera os milhares de meios de comunicação ao serviço da desinformação e promoção a todos os títulos do obscurantismo e servilismo público. Assim quanto ao NOSSO Club-K: diríamos que o NOSSO POUCO vale mais do que o muito dos outros.

Parabéns pelos 12 anos de luta, suor, justiça, descoberta de vozes que clamam no deserto e podemos dizer com o poeta: “ HÁ SOL BASTANTE NO HORIZONTE, PODEMOS CAMINHAR SEM MEDO DA ESCURIDÃO”  a Biblia Disse: “dizei a verdade e a verdade vos salvará” ainda a mesma fonte disse “ BEM AVENTURADOS OS QUE TÊM FOME E SEDE DA JUSTIÇA” mil PARABÉNS PARA O NOSSO CLUB-K, O CLUB DOS JUSTOS EM BUSCA DA JUSTIÇA PARA TODOS.

ANGELO KAPWATCHA,
PRESIDENTE DO CONSELHO DIRECTIVO DO FORDU

Quem Somos

CLUB-K ANGOLA

CLUB-K.net é um portal informativo angolano ao serviço de Angola, sem afiliações políticas e sem fins lucrativos cuja linha editorial consubstancia-se na divulgação dos valores dos direitos humanos, educação, justiça social, analise de informação, promoção de democracia, denuncias contra abusos e corrupção em Angola.

Informamos o público sobre as notícias e informações ausentes nos canais informativos estatal.  Proporcionamos ao público uma maneira de expressar publicamente as suas opiniões sobre questões que afectam o dia-a-dia, qualidade de vida, liberdades e justiças sociais em Angola... Leia mais

Contactos

 

  • E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

  • WhatsApp: (+244) 918 512 433 Para uso no aplicativo WhatsApp apenas!

  • Reino Unido : (+44) 784 848 9436

  • Buffalo / EUA: (+1) 347 349 9101 

  • New York /USA: (+1) 315 636 5328

Newsletter

Assine a nossa Newsletter para receber novidades diárias na sua caixa de e-mail.

INSERE O SEU E-MAIL

Infográficos