Política

Homenagem da LIMA por ocasião do passamento físico da mãe Maria Matilde Lucamba.

Luanda  - Homenagem da LIMA por ocasião do passamento físico da mãe Maria Matilde Lucamba.

Fonte: LIMA

A morte matreira e injusta arrebatou precocemente do nosso seio a nossa mãe, irmã, amiga e companheira Maria Matilde Lucamba, (mãe Zinha) como era carinhosamente tratada.

Como descrevermos neste momento o seu percurso histórico, quando os nossos olhos estão cheios de lágrimas e os nossos corações cheios de saudades daquela que sempre esteve firme em seguir os ensinamentos do Dr. Jonas Malheiro Savimbi!


Tão jovem abraçou os ideais da UNITA. Com muita coragem, determinação, espírito de sacrifício e forte convicção, contribuíu na edificação do grande projecto de implementação da Democracia multipartidária em Angola.

 

Sempre com um sorriso nos lábios que lhe era peculiar, aceitava as orientações superiores, e assim, fruto das suas qualidades de liderança, ascendeu a vários cargos nas regiões por que passou, a exemplo do Massivi, das Regiões Militares -35, 25,11, 63, 66, 71, na Frustração do povo, Bailundo, COPE Centro, Huambo, COPE Nordeste e Benguela para só citar algumas.

 

Quando nos inclinamos solenemente em homenagem a nossa mãe Zinha, cabe - nos destacar que sua memória envolve toda uma geração de mulheres patriotas que no momento em que tiveram de dar a sua contribuição ao país, responderam pronto para consagrar toda a sua vida em prol dos grandes desafios que se levantaram no seu tempo, tais como: a conquista da independência nacional, Liberdade, Justiça, da Paz, Democracia, da Reconciliação nacional, e, em especial, a Dignificação e Valorização da mulher angolana.

 

Recordar hoje a inesquecível mãe Zinha, é também fazer referência, ao seu papel de exímia educadora da juventude, de mãe carinhosa dos seus filhos, amiga, colega, companheira, conselheira, enfim, deixa em todos marcas profundas que jamais serão esquecidas.

 

A LIMA- Liga da Mulher Angolana, organização feminina a que pertenceu, promete continuar a honrar a sua memória, através de acções que levam a concretização dos ideais pelos quais tanto contribuiu.
Os seus feitos serão sempre recordados, pois, “ os homens passam mas as suas obras permanecem vivas para a posteridade”.

Neste momento de dor, luto e profunda consternação, o Comité Nacional da LIMA endereça à família enlutada, em particular aos filhos, as mais sentidas condolências.

Paz eterna à sua alma.
Bailundo, 21 de Setembro de 2016
O Comité Nacional da LIMA

 

Empresas de Manuel Vicente em paraíso fiscal citadas no Bahamas Leaks

Brasil - ”Bahamas Leaks" mostram detalhes sobre empresas em paraíso fiscal. Assim como no caso dos "Panama Papers", dados foram enviados ao jornal alemão "Süddeutsche Zeitung" por uma fonte anônima.

Fonte: Esquerda diario

Apenas cinco meses após os chamados Panama Papers, um novo vazamento expõe políticos que usavam um paraíso fiscal para esconder seu dinheiro. O jornal alemão Süddeutsche Zeitung divulgou nesta quarta-feira (21/09) documentos referentes a offshores abertas nas Bahamas entre 1990 e 2016.

 

O vazamento inclui dados referentes a mais de 175 mil empresas-fantasmas e fundações com sede no paraíso fiscal. Os dados fazem parte do registro de empresas do governo das Bahamas.

 

Entre os nomes de maior destaque que aparecem nos chamados Bahamas Leaks está o da ex-comissária da União Europeia (UE) da Concorrência Neelie Kroes. A holandesa, de 75 anos, aparece registrada como diretora de uma offshore durante o período que exercia sua função na UE. Integrantes da Comissão Europeia são proibidos de exercer outras funções.

 

Além de Kroes, aparecem nos documentos os nomes de políticos como o ex-ministro colombiano de Minas Carlos Caballero Argáez, o ministro de Finanças canadense, William Francis Morneau, do vice-presidente angolano, Manuel Domingos Vicente, e da ministra do Interior britânica, Amber Rudd. A Federação Internacional de Tênis (ITF) figura também nos Bahamas Leaks.

 

Os documentos revelam uma rede de empresas offshore de líderes do cenário político mundial. Entre os nomes encontrados estão:

Mauricio Macri – holding da família do atual presidente da Argentina;
Neelie Kroes – ex-comissária da União Europeia de 2000 a 2009;
Amber Rudd – secretário do interior do Reino Unido;
Ian Cameron – pai do ex-primeiro ministro britânico David Cameron;
Marco Antonio Pinochet – filho do ex-ditador Augusto Pinochet;
Carlos Caballero Argáez – ministro de Minas e Energia da Colômbia de 1999 a 2001;
Sani Abacha – filho do presidente da Nigéria;
Sheikh Hamad – ex-ministro do Exterior do Qatar.

 

Diferentemente dos Panama Papers (leia tudo sobre a série aqui), o acervo do Bahamas Leaks não inclui e-mails ou contratos relacionados a essas companhias nem indica quem são os seus beneficiários finais. A base de dados dos Bahamas Leaks está disponível aqui.

 

Estão disponíveis os nomes de 25 mil administradores e funcionários nomeados para controlar essas empresas. Somado aos Panama Papers, o ICIJ encontrou nos 2 paraísos fiscais 500 mil offshores ligadas a 200 países.

 

A equipe do Esquerda Diário identificou que há brasileiros envolvidos em offshores nas Bahamas. Publicaremos em breve aos leitores do ED quem são os "honrados republicanos" que lavam dinheiro e cometem fraudes fiscais nas Bahamas.

 

Angola diz que Guterres “é o melhor candidato” para liderar ONU

Luanda - O ministro dos Negócios estrangeiros angolano disse nesta quarta-feira, em Nova Iorque, que António Guterres “é o melhor candidato” para secretário-geral da ONU e que acredita que o português será eleito. “Eu acho que vai ser eleito. Ganhou todas as votações que ocorreram até aqui e não temos dúvidas de que é o melhor candidato que a comunidade internacional tem”, disse Georges Chikoti à agência Lusa.

Fonte: Lusa

António Guterres venceu as primeiras quatro votações secretas para o cargo, que aconteceram a 21 de julho, 05 de agosto, 29 de agosto e 09 de setembro passados.

 

Duas outras votações estão agendadas: uma semelhante às primeiras quatro, que acontecerá a 26 de setembro, e uma na primeira semana de outubro, em que os votos dos membros permanentes do conselho, que têm poder de veto sobre os candidatos, serão destacados.


Angola é até ao final do ano membro não permanente do Conselho de Segurança, altura em que termina o mandato de dois anos. “Claro que Angola tem um papel limitado. Isto agora vai ser visto pelos membros permanentes do Conselho de Segurança, que serão os membros decisivos para escolherem”, disse o chefe da diplomacia angolana.

 

A eleição deste ano tem sido dominada por uma forte campanha para eleger uma mulher para o cargo, porque tal nunca aconteceu na história da organização, ou um candidato da Europa de Leste, para cumprir uma tradição de rotação geográfica.

 

Georges Chikoti, que falava à margem da Assembleia-Geral da ONU, disse que os dois argumentos ainda são muito discutidos nos encontros do Conselho de Segurança. “Fala-se cada vez mais de ser alguém da Europa de leste e fala-se menos de ser uma mulher. Mas a verdade é que não sabemos como é que os grandes países vão decidir”, adiantou o ministro. A organização espera ter encontrado o sucessor de Ban Ki-moon, que termina o seu segundo mandato no final do ano, durante este outono.

 

Duas pessoas presas após ataque à sede da UNITA em Menongue

Luanda - Duas pessoas terão sido presas por alegado envolvimento no ataque à sede da UNITA em Menongue, no Cuando Cubango, na quarta-feira, 21, disse à uma fonte do Serviço de Investigação Criminal que acrescentou estarem em curso investigações.

* Armando Chicoca
Fonte: VOA

Entretanto, o deputado Manuel Savihemba diz que o governador Pedro Mutindi deve mandar parar os atentados contra quadros e património da UNITA no Cuando Cubango.


A sede da UNITA foi alvo de um ataque de fogo posto e a UNITA alega que tem havido vários ataques que as autoridades ignora,

 

O deputado Manuel Savihemba, igualmente coordenador da acção política das províncias do Bié, Huambo e Cuando Cubango, disse que os ataques são premeditados e acusoa o governador de permitir esses ataques.

 

Savihemba revela que o governador Pedro Mutindi deixou de atender os seus telefonemas desde que se deu o incêndio na sede do partido do Galo Negro.

 

Numa conversa telefónica mas não gravada com a VOA, o governador reagiu com humor às acusações e pedu para se perguntar ao deputado da UNITA “onde estávam os guarda privados da UNITA quando se deu o incêndio”.

 

Manuel Savihemba admitiu a possibilidade de levar o governador do Cuando Cubango a tribunal alegando haver acções concertadas contra o Galo Negro.

MPLA e oposição com leituras diferentes da longevidade do PR no poder

Luanda - O Presidente angolano José Eduardo dos Santos completa hoje, 21 de Setembro de 2016, 36 anos no poder, sendo o segundo dirigente com mais tempo no cargo em África.

Fonte: VOA

O mais longevo é Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, da Guiné-Equatorial.

 

Políticos da oposição afirmam que 37 anos poder é demasiado tempo, enquanto o MPLA destaca que a dimensão humana de Santos de integrar adversários.


Depois de 37 anos no poder, aumenta o coro dos que dizem ter chegado a hora de José Eduardo dos Santos abandonar o poder.

 

Lindo Bernardo Tito, porta-voz da CASA-CE, reconhece que o Presidente da República foi ao poder muito cedo e que os ganhos que hoje devia evocar acabam por se apagar por causa da longevidade do poder.

 

“Obviamente alguma fez ao serviço do país, mas os ganhos que ele podia hoje evocar acaba por se esfumar por causa da longevidade desta magistratura”, apontou Tito, que acusa Santos de gerir o país com interesses pessoais.

 

Alcides Sakala, porta-voz da UNITA, também crítica a longevidadee afirma que “quem fica muito tempo no poder não consegue dar solução aos problemas do país”.

Sakala considera que o país deve enfrentar grandes mudanças em 2017.

 

MPLA destaca humanismo

 

Por seu lado, Aniceto Cunha, político do MPLA,recorre à história, reconhece a longevidade e afirma que José Eduardo dos Santos tem uma dimensão humanista em integrar na sociedade os seus adversários políticos.

 

“O país tem quatro grandes heróis que a historia reconhece, Dr. António Agostinho Neto, Dr. Savimbi, Holden Roberto e José Eduardo dos Santos, e o maior feito que ele terá é a paz que conseguiu e a forma como tratou os seus adversários, aponta Cunha.

 

José Eduardo dos Santos fez os seus estudos superiores no Instituto de Petróleo de Gás de Bakú, na ex-União Soviética, onde licenciou-se em engenharia de petróleos, em Junho de 1969.

Em 1979, após a morte de Agostinho Neto, foi escolhido pelo MPLA para presidente do partido e do país e assumiu a Chefia do Estado a 21 de Setembro de 1979.

 

Activistas defendem democracia em Angola sem José Eduardo dos Santos

Luanda - Membros do auto-denominado Movimento Revolucionário Angolano enviaram recados ao Presidente da República dizendo que a libertação do povo angolano está para breve.

*Manuel José
Fonte: VOA

No dia em que José Eduardo dos Santos assinala 37 anos no poder, os activistas dizem acreditar que só haverá democracia quando Santos deixar o poder e também apontaram o dedo à oposição.


O activista Emiliano Catumbela diz que já faltou muito mais tempo e que agora a verdadeira libertação do povo angolano do que considera regime ditatorial está para breve porque “o seu regime vai cair mesmo”.

 

Por seu lado, Albano Bingo Bingo, um integrando do grupo dos 17 activistas, pediu a José Eduardo dos Santos que não seja cego nem surdo e que acompanhe a dinâmica dos tempos.

 

Bingo Bingo aproveitou endereçar igualmente um recado a oposição: “É difícil entender quando organizações da sociedade civil e partidos políticos dizem que vamos consolidar a democracia em Angola, não se consolida algo que não existe, em Angola a democracia deve ser plantada e cultivada por enquanto não temos nada tudo é só falacia, não existe democracia''.

 

Outro recado direcionado aos partidos na oposição foi endereçado por outro integrante dos 17, Arante Kivuvu, para quem a ditadura em Angola só cai com a união de todos.

 

''Chamo atenção aos partidos políticos na oposição que devem pensar na união a exemplo de Portugal, Venezuela para derrubar as ditaduras ou governos com muitos anos de poder, enquanto não houver união entre os partidos na oposição e estes manterem a ganancia entre eles nunca se vai derrubar a ditadura em Angola'', defendeu Kivuvu.

 

Por sua vez, Manuel Nito Alves considera a longevidade de José Eduardo dos Santos no poder em Angola um cancro para os angolanos, “é muito tempo, em Angola se não tirarmos esta gente que detém o poder nunca teremos uma verdadeira democracia''.

 

José Eduardo dos Santos completa hoje 37 anos desde que tomou posse como Presidente da República.

Cabinda: UNITA denúncia irregularidades do registro eleitoral

Cabinda  - Conferência de Imprensa sobre o balanço dos primeiros 27 dias de actualização de registo eleitoral em Cabinda.

 
Fonte: Club-k.net
 
Estimados Jornalistas;
Excelência Sr. Secretário Provincial do nosso Partido;
Ilustres Companheiros do nosso Partido;
Estimado Povo de Cabinda;
Minhas Senhoras e Meus Senhores:
 
 
Convocamos a imprensa para fazer esta comunicação a população em Geral em particular ao povo de Cabinda, no sentido de informarmos quanto ao andamento do processo de actualização do registo eleitoral oficioso, que teve o seu início no passado dia 25 de Agosto de 2016.  
 
 
Decorridos já 27 dias de actualização do registo eleitoral a nível da nossa província, constata-se que não há transparência no processo, pelo facto de titulares das Administrações Municipais, estarem a violar o preceituário por lei, tudo porque as equipas que estão a organizar o processo de actualização do registo eleitoral são jogadores e árbitros ao mesmo tempo, logo não há garantia para transparência no processo.   
Estimados cidadãos;
 
 
A Lei do registo eleitoral estabelece princípios e regras fundamentais que devem ser respeitados durante o processo de actualização e de registo eleitoral oficioso, princípios e regras estes que não estão a ser cumpridos, visto que desde que iniciou o processo, registam-se várias vicissitudes que violam a transparência e a imparcialidade do mesmo, de acordo com o artigo 7º da Lei do registo eleitoral, "cito " o registo eleitoral dos cidadãos maiores deve ser feito com clareza, transparência e imparcialidade de modo a evitarem-se erros ou omissões que comprometem a sua finalidade. Com base nisto, podemos afirmar que a entidade registadora e organizadora através da administração do território, tem vindo a partidarizar o processo de forma isolada, evitando a participação directa dos outros intervenientes do processo, como são os Partidos Políticos na oposição, através dos seus fiscais, dificultando o seu credenciamento e a movimentação destes, por razões de transporte, sobre tudo nas zonas mais longínquas e não só. 
 
 
 Caros companheiros:
 
Passados 27 dias de actualização do registo eleitoral, a UNITA em Cabinda, vem publicamente denunciar violações sistemáticas registadas no decorrer do processo que viola os princípios e regras que regem a Lei do registo eleitoral. 
 
 
Todas estas violações, foram constatadas após termos efectuado um périplo nos 4 Municípios da nossa província, no dia 11 de Setembro de 2016, onde mantivemos vários contactos com os nossos fiscais e algumas autoridades tradicionais, bem como a população de várias aldeias por onde já passou a actualização do registo eleitoral, tendo constatado as seguintes violações:
 
 
1- Regista-se nos 4 Municípios da província a movimentação de brigadas de registo sem nenhum plano ou mapeamento de trabalho dos locais por onde se vai realizar actualização do registo e nem prévia notificação aos fiscais dos Partidos Políticos na oposição;
 
 
2-  Constata-se ausência de máquinas de impressão digital nas brigadas de registo dos Municípios de Cacongo, Buco-Zau e Belize. 
 
 
3- Inexistência de uma brigada fixa desde o dia 25 de Agosto até à data presente na Administração Municipal de Buco-Zau, conforme rege a Lei do registo eleitoral.
 
 
4- Inexistência de mesas fixas durante o dia a nível dos Bairros do Município de Buco-Zau, utilizando sistema de actualização ambulatório, facto que tem trazido constrangimento na actualização dos cidadãos menos atentos. 
 
 
5- O ponto 3 e 4 violam o artigo 62º da Lei do registo eleitoral, a que citamos " (Entidades Registadoras, Brigadas e Postos Destacados) 1. Nos Municípios e Comunas a execução do registo presencial dos cidadãos maiores é feita pelas respectivas administrações, as quais constituem a respectiva entidade registadora. 2. Em caso de necessidade podem ser criadas brigadas de actualização de dados e postos destacados de actualização de dados.
 
 
6- Foram notados em todos os Municípios, através das administrações Municipais, grupos extras de brigadas noturnos dos registos com a missão de recolha de cartões de eleitores dos cidadãos para finalidade incerta, com o agravante, dizem que os mesmos servirão para actualização, contrariando a Lei;
 
 
 
7- Regista-se até ao momento a recolha de cartões de eleitores nas fronteiras de Massabi, Município de Cacongo, Fronteiras de Dolozi Congo Brazavill e Quissungo/RDC, no Municípios de Belize, neste ultimo, foi vista a chefe dos registos a Senhora Ester Bilongo a violar o artigo 45º da Lei do registo eleitoral. 
 
 
8- Regista-se a recolha compulsiva e isolada de cartões de eleitores dos cidadãos, pelos Senhores Zacaria Gomes, chefe da Secção da Juventude e Desporto, Senhor Elfacio Panzo, representante de MINARS, Senhor Domingos, Estafeta de administração Municipal, no dia 04 de Setembro de 2016, nos Bairros Deolinda Rodrigues, Binga Nova no Município de Buco-Zau. 
 
 
 
9- Registou-se a desorientação da população das Aldeias de forma generalizada no quadro da campanha de educação cívica sobre o registo eleitoral, por parte de alguns responsáveis encarregues na educação cívica da campanha de actualização a nível das comunidades dos Municípios, dizendo que o registo eleitoral é do Partido MPLA, isentando de forma estratégica os militantes dos outros Partidos e daqueles que são apartidários. Exemplo, acção praticada pelo Sr. Madukila no Município de Belize.
 
 
10- Nota-se a presença de Militantes do MPLA nas brigadas de actualização de registo eleitoral, com material de propaganda do seu Partido, influenciado psicologicamente o cidadão que o MPLA é o partido organizador do processo. Ex., o que aconteceu no dia 04.09.2016, na Comuna do Malembo, povoação de Bissasanha e outras aldeias daqueles localidades, bem como na administração Municipal de Cabinda. 
 
 
11- A presença de membros não credenciados a volta de brigadas de actualização do registo, alegando que são responsáveis de administrações Municipais, muita das vezes com material de propaganda do MPLA. Exemplo, o Administrador Comunal do Malembo, a presença dos homens da Policia Nacional junto às mesas, sem identificação ou credencial, e outras individualidades intitulados como funcionários dos registos, violando o Artigo 64º da Lei dos registos eleitoral. 
 
 
12- Existência de actualização antecipada de cidadãos que perderam os seus cartões, através dos B.I, cujos cartões não são entregues aos cidadãos, mas dizem que posteriormente poderão receber seus cartões. Exemplo, o Sr. José Mabiala, sob registo do brigadista Sunda no Município de Buco-Zau, bem como no Município sede e Cacongo. 
 
 
13- Constatou-se a existência de orientações às autoridades tradicionais por parte das administrações Municipais, no sentido de realizarem a recolha de cartões de cidadãos mortos nas suas zonas de jurisdição, para posteriormente serem entregues as respectivas administrações, para fins inconfessos. 
 
 
14- Ausência de Supervisão do Processo de actualização de registo eleitoral, por parte dos membros da Comissão Provincial Eleitoral e Municipais nas brigadas, de acordo com o artigo 57º sobre a Supervisão do Registo Presencial dos Cidadãos. 
 
 
15- Evidenciou-se a recolha coerciva de cartões de eleitores na Comuna do Tando-Zinze Município sede de Cabinda, pelos responsáveis dos cap do MPLA e Coordenadores nas Aldeias do Bonde Pequeno, Bonde Grande, são José de Limano, Macanga Grande e Todos Bairros do Município sede de Cabinda. 
O que diz a Lei quanto a existência destas enormes violações?
 
 
O artigo 45.º (Recolha Coerciva de Cartão de Eleitor)
 
Quem, com intuito fraudulento, promover a recolha coerciva do cartão de eleitor de outrem ou de elementos nele contido, é punido com pena de prisão de dois a oito anos e multa de Kz: 100.000,00 a Kz: 150.000,00. Baseando-se neste artigo, surge a seguinte questão? Com estas evidências as autoridades administrativas poderão levar a barra do tribunal os violadores da Lei? Já o artigo 57.º estabelece o seguinte:
 
 
1. Cabe à Comissão Nacional Eleitoral a supervisão do processo de registo presencial dos cidadãos maiores executado pelos órgãos da Administração Central ou Local do Estado.
 
 
2. O acompanhamento e a supervisão são feitos através de visitas de constatação aos locais de funcionamento dos postos de registo e da apreciação de relatórios periódicos sobre as operações de registo eleitoral, fornecidos pela Administração Central ou Local trimestralmente.
 
Minhas Senhoras e Meus senhores
 
 
Havendo todas estas violações de princípios, regras que acabamos de denunciar, ilustra-nos mais uma vez que o MPLA retirou o poder aos órgãos de administração eleitoral a não organizarem o processo, para continuar a manipular os resultados antecipadamente, através do registo que esta decorrer em todo país. 
 
 
A UNITA em Cabinda, apela as entidades competentes, como é o caso do Tribunal Constitucional, a respeitar a constituição da república no seu artigo 107º que demonstra claramente as competências da CNE e urge a necessidade de repor a legalidade o mais rápido possível, visto que a CNE é o único órgão de administração eleitoral existente em Angola que deve organizar todo um processo eleitoral e não as Administrações Municipais, nem tão pouco os registos de conservatório civil, porque estes órgãos não tem nada a ver com o processo eleitoral. 
 
 
Outrossim, apelamos a população em geral, de forma a manterem-se vigilante e denunciar todos indivíduos que estão a violar os princípios as regras da Lei do registo eleitoral. 
 
 
A UNITA, alerta ainda a sociedade de Cabinda, há não permitir que alguém venha receber o seu cartão de eleitor para fins não identificados, perigando assim, a Mudança que todos nós almejamos em 2017.
 
 VIVA UNITA 
VIVA O POVO DE CABINDA
VIVA O SECRETARIADO EXECUTIVO DA UNITA EM CABINDA
Muito obrigado

 

Secretariado da Unita no Cuando Cubango é incendiado

Menongue - Desconhecidos incendiaram na madrugada desta quarta-feira, 21, o prédio do Secretariado Provincial de Menongue da UNITA, na província de Cuando Cubango causando danos materiais ao partido do galo negro.

*Armando Chicoca
Fonte: VOA

O secretário provincial do partido no Cuando Cubango, Adriano Sapinala, revela à VOA que o acto deve ter ocorrido por volta da meia noite, mas, nem a polícia nem os bombeiros preocuparam-se com sucedido.


Sapinala vai mais longe e diz que tais actos são fruto da intolerância política na província e imputou a cumplicidade do Executivo de Pedro Mutindi, que na óptica do dirigente, não consegue travar a onda de intimidação.


Os Serviços de Investigação Criminal já estiveram no local e colheram materiais, como recipientes de gasolina usados no fogo posto e outros meios que serviram para oarrombamento das portas da sede da Unita.


Os militantes da UNITA, no Cuando Cubango, segundo Sapinala, não se deixam levar pelo medo destas intimidações.


Dirigentes, quadros e militantes da UNITA, em Moçâmedes, manifestam-se solidários com os seus confrades do Cuando Cubango.


Vitorino António Silepo, secretário provincial para a organização e adjunto do Comité Provincial do Namibe, disse que o MPLA só ameaça os fortes.

Silepa pediu aos governantes angolanos que "evitem convulsões como as que se notam no Congo Democrático".

Quem Somos

CLUB-K ANGOLA

CLUB-K.net é um portal informativo angolano ao serviço de Angola, sem afiliações políticas e sem fins lucrativos cuja linha editorial consubstancia-se na divulgação dos valores dos direitos humanos, educação, justiça social, analise de informação, promoção de democracia, denuncias contra abusos e corrupção em Angola.

Informamos o público sobre as notícias e informações ausentes nos canais informativos estatal.  Proporcionamos ao público uma maneira de expressar publicamente as suas opiniões sobre questões que afectam o dia-a-dia, qualidade de vida, liberdades e justiças sociais em Angola... Leia mais

Contactos

 

  • E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

  • WhatsApp: (+244) 918 512 433 Para uso no aplicativo WhatsApp apenas!

  • Reino Unido : (+44) 784 848 9436

  • Buffalo / EUA: (+1) 347 349 9101 

  • New York /USA: (+1) 315 636 5328

Newsletter

Assine a nossa Newsletter para receber novidades diárias na sua caixa de e-mail.

INSERE O SEU E-MAIL

Infográficos