CARTA ABERTA AO
Exmo. Sr. Engº EURICO FERREIRA
Mui Digno Director Geral do GAMEK - GABINETE TÉCNICO DE APROVEITAMENTO DO MÉDIO KWANZA
(RESPONSÁVEL PELA GESTÃO DA BARRAGEM HIDROELÉCTRICA DE CAPANDA)

Exmo. Senhor Engº:


Não me sendo possivel, por motivos alheios a minha vonta, chegar a Vexa. por outra via, tomo a liberdade de, por via desta tribuna pública, colocar-lhe a questão que abaixo descrevo, que a todos os titulos, me parece deveras actual, oportuna e de interesse de todos os angolanos, muito particularmente, dos que habitamos na cidade de Luanda:


Li e reli com bastante atenção e muita preocupação suas declarações constantes no artigo do jornal cuja cópia junto em anexo.


No entanto, as declarações expressas por Vexa no referido artigo, estão em total dissonância com algumas vozes, tecnicamente de reconhecida competência, que nos vão informando que, o que está a ocorrer na barragem Hidro-eléctrica de Capanda, contrariamente ao por Vexa. apregoado, tal como à falta de chuvas e baixo caudal do rio Kwanza, (quando todos sabemos que há já algum tempo que se vem registando um aumento considerável do indice médio diário pluviométrico em todo a região do Planalto Central, que chega a atingir os 80 mm/dia), tem a ver,sim, com problemas de ordem técnica, mas de origem estrutural, que estão na base da contrução da mesma e que agora, tais fragilidades, começam a ser cada vez mais evidentes , cuja solução não se adivinha, nem para daqui a médio prazo, constituindo esta, na realidade, a razão que está na base da paralização e/ou substâncial redução da actual produção de energia electrica.


Ontem mesmo, ouvi com bastante atenção duas intervenções de responsáveis da Edel e da Ene, sobre a problemática da anergia e suas perspectivas de desenvolvimento futuro e, para além de, pessoalmente, as ter considerado, com o devido respeito "Conversa para Boi Dormir", deixaram-me, de facto, mais preocupado ainda e sobretudo mais tentando a acreditar de que, as vozes tecnicamente crediveis que se têm feito ouvir, aquí e acolá, estejam a reportar a verdade dos factos que, nem Vexa, nem o Exmo. Sr. Ministro da Energia e Águas, não querem, ou não podem públicamente assumir, de modo a que a "Plebe", esta que vos elegeu, seja, final e definitivamente informada sobre a verdade dos factos.


Ainda que os "mujimbos" que aqui acabo de veicular, correspondam a verdade dos factos, não percebo o que é que afinal se teme, uma vez que, na hisstória do nosso país, quase nunca se fazem rolar cabeças de dirigentes e/ou reesponsáveis, por incúrias, ou irresponsabilidades, ou mesmo o espirito de deixa andar que possam manifestar durante o exercicio de responsabilidades de Estado, portanto, nada me leva a acreditar, que esta poderia vir a ser a honrosa excepção que eu espero um dia ver acontecer neste meu país.


De ser verdade o que se cojita nos "bastidores", a minha modesta opinião, acho que, a actitude que VEXAS têm vindo a adotar de tranquilamente "OUVIREM OS CÃES LADRAREM, ENQUANTO A CARAVANA VAI PASSANDO", pode resultar de muito perigosa e, quicás até de consequências imprevisiveis, porque com ela, VEXAS estão, de forma consciente e insistente, a deixarem a "Plebe" ainda mais irritada.


Só espero que amaturidade e a capacidade de "encaixe", de paciência e de resistência que, em outros momentos tão dificeis quanto este, esta mesma "Plebe" já demosntrou possuir, não se extravase, a pontos de, por culpa de Vexas e de mais ninguém, venhamos a constatar, a breve trecho, situações de convulsões sociais que se poderão facilmente estender que nem rastilhoss, pelo país a dentro, o que, a todos os títulos não interessa a ninguém.


Queremos Paz e Tranquilidade necessárias e suficientes para que cada um de nós, possa dedicar-se inteiramente às suas responsabilidades enquanto trabalhadores humildes e honestos que somos deste país;

 
Queremos e desejamos contribuir cada vez mais e melhor para o rápido crescimento e desenvolvimento do nosso país e, esperarmos, com muita expectativa, para ver, (tal como S. Tomé), fazere-se a distribuição dos resultados deste crescimento a que todos estamos dispostos a contribuir, por todos os filhos desta terra.


Expresso de forma antecidada, Mui Digno Sr. Director Geral do GAMEK, os meus agradecimentos pela atenção que, certamente, o assunto que lhe coloco, merecerá da parte de Vexa.


Permanecerei na expectativa do seu breve comentário e/ou esclarecimento sobreo mesmo, que lhe é colocado, por mim, na qualidade de cidadão comum, anónimo e no exercício dos meus plenos direitos civicos e constituidos.


Subscrevo-me, mas ante, porém, rogo-lhe que aceite, por gentileza, os protestos da minha mais elevada consideração.


Atenciosamente,

Cândido Carneiro.-
TM. +244 923 400670
E-mail. Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: