Luanda – Venho relatar um caso extremamente desagradável que se tem passado no Hotel Epic Sana Luanda. Moro e trabalho em Luanda, frequentando habitualmente o ginásio do Hotel Epic Sana Luanda (Fitness Club - Sayanna Welness) desde há cerca de 3 meses.

Fonte: Club-k.net
Tinha expectativas elevadas quanto ao ginásio deste hotel, já que se trata de uma unidade hoteleira de referência em Luanda, sendo inclusivamente o único hotel de 5 estrelas na cidade. Infelizmente deparei-me com um ginásio que em nada dignifica o nome do hotel.

Tenho ficado extremamente insatisfeita e incomodada com o tratamento recebido no ginásio, nomeadamente por parte do colaborador Sr. Eduardo Silva, o qual é responsável pelo Fitness (Club Manager).

Desde o 1º dia em que frequento o ginásio, tem-se manifestado extremamente desagradável, efectuando variadas vezes insinuações de cariz muito pouco profissional e assediando-me por diversas vezes.

Efectuou várias tentativas de convites para lanches, cafés e jantares, de uma forma nada aceitável. Já recebi inclusivamente chamadas e mensagens no meu telemóvel deste senhor, o que qualifico como uma atitude no mínimo deplorável e que em nada dignifica o serviço de excelência que o hotel Epic Sana Luanda deveria prestar aos seus clientes.

Aproveito ainda para acrescentar que situações do género já sucederam a outras amigas que frequentam o mesmo ginásio do SANA (inclusivamente por este e outros colaboradores do ginásio), sendo que este ginásio começa a ser conhecido no meio por este tipo de casos.

Trata-se de uma situação inaceitável, e que em nada valoriza a imagem e serviço do ginásio do Hotel Epic Sana Luanda, o qual deveria ser visto pelos seus clientes como um espaço de excelência na cidade.

Aproveito ainda para salientar que o senhor em questão, Sr. Eduardo Silva, é expatriado de nacionalidade portuguesa.  

Para além de toda a indignação referida atrás, e que merece no meu entender que este caso seja tornado público através do vosso jornal, tenho de referir que na minha opinião o contributo de cidadãos estrangeiros para a evolução e desenvolvimento do nosso país é fundamental e reveste-se de especial importância, nomeadamente nas áreas em que não temos ainda Angolanos qualificados que possam dar o seu contributo.

Contudo, penso que não faz qualquer sentido Angola aceitar um estrangeiro para trabalhar num ginásio, dado que temos cá pessoal qualificado de sobra nesta área. É ainda de salientar que para além de tudo isto, é inaceitável que um expatriado ande a cometer este tipo de atitudes, assediando as clientes do hotel, quando devia estar no nosso país com a missão única e exclusiva de fazer a diferença para melhor.

Parece-me que o nosso país não deve tolerar comportamentos destes, e deve abolir de vez a permanência destas pessoas que em nada contribuem para o desenvolvimento do mesmo.
Numa altura em que o nosso Presidente, José Eduardo dos Santos, coloca em cima da mesa a continuidade da cooperação estratégica com alguns países, nomeadamente com Portugal, parece-me que não devemos ter qualquer flexibilidade para cá deixarmos ficar a trabalhar pessoas como este Sr. Eduardo Silva, o qual não está certamente a fazer com que o nosso país evolua para um nível superior.

Espero que este email sirva para denunciar esta situação de forma rigorosa e séria, para que situações destas não se voltem a repetir com nenhuma cliente e também para que expatriados portugueses ou não, não voltem a entrar no nosso país sem que tenham a missão efectiva de contribuir para o melhor futuro do mesmo enquanto se encontram em território Angolano.

Para finalizar, acrescento que vergonhosamente a direcção do Hotel Epic Sana Luanda, tem conhecimento deste caso gravíssimo e não tomou quaisquer medidas para o resolver.
 
Estou certo que esta denúncia irá receber o melhor seguimento da vossa parte.
 
Melhores Cumprimentos,

Ana Paula Neto



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: