Luanda – O país acordou em Estado de sitio, este sábado, depois de a Policia através do seu porta-voz Aristofanes dos Santos ter ameaçado impedir qualquer manifestação em respeito a memória de Isaias Cassule e Alves Kamulingues, dois activistas executados pelas autoridades e lançados aos jacarés.

Fonte: Club-k.net

Logo nas primeiras horas do dia, a policia invadiu a sede da CASA-CE, em Luanda, tendo prendido um grupo de militantes que preparam cartazes exigindo justiça pelo que aconteceu com os dois ativistas mortos. O Deputado desta formação, Leonel Gomes foi detido junto com outros jovens.

 

O Líder da CASA-CE, Abel Chivukuvku ao ir procurar os seus companheiros pelas cadeias de Luanda, acabou também por ser detido  e solto uma hora depois.

 

Ainda em Luanda, o Secrétario para Mobilização da UNITA, Francisco Falua, foi brutamente espancado por volta das 10 horas nas imediações da unidade operativa. Em reação, o activista Victor Hugo Plineo Ngongo apelou que “Seria bom que a polícia comportasse-se bem, porque a paciência tem limites”.

Verifica-se também  helicópteros da Polícia e da Força Aérea no ar; tanques das FAA e da PIR no solo. “O Governo parece que tem saudades da guerra”, diz uma testemunha.

 

Em Cabinda,  mesmo sem antes da convocada manifestação se realizar, o Secretariado provincial da UNITA  foi invadido por efectivos das FAA e Policia.  A margem da operação foi  preso o Secretario da UNITA para a Comunicação e Marketing naquela província do Norte de Angola

 

Em Menongue as forças policiais invariam também  a sede da UNITA, e  espancaram membros desse partido. Na ocasião os policiais atiraram granadas de fumo lacrimogéneo. A informação foi prestada pelo Secretario Provincial Ernesto Kambinda.

 

Na província do Bengo foi detido esta manha, o Secretário Provincial da JURA naquela província,  João Moisés Bessa  por um forte aparato da polícia destacado no desvio da Barra do Dande.  A sede deste partido em Caxito foi cercada pela policia  desde a madrugada do dia 23 impedindo  todos os populares que circulam naquele perimentro.

 

Na província do Bie, apesar  dos impedimentos o povo, começou a sair as ruas depois das 9h da manha fazendo-se presente na manifestação programada.  Antes  o Comamdante Provincial Adjunto da Policia Nacional, Sr. Menhucho reuniu-se com Secretário Provincial da UNITA, Lito Kandambu solicitando para  que nao saíssem  as ruas para cumprimento das ordens do Governo e Ministerio do Interior.   Momentos depois alguns populares juntaram-se  defronte do Secretariado do Comité Provincial do maior partido da oposição, onde foi lido um manifesto.

 

Clima de instabilidade que se segue no país foi antecedido por uma campanha movida pela TPA, com reportagens em que se fazia recordar a guerra que terminou a 10 anos atrás. O trabalho da  Televisão estatal, segundo, observações foi no sentido   dar a entender ao povo de que a manifestação em respeito a memoria de Alves Kamulingue e Isaias Cassule, eram sinónimos de guerra.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: