África do Sul – A Schlumberger (NYSE: SLB) é uma empresa Francesa, a maior empresa prestadora de serviços para campos de petróleo do mundo, fundada desde 1926 e já opera em Angola há vários anos. No processo da Angolanização, ela tem vindo a esforçar-se na formação de quadros angolanos para facilitá-la na aquisição de alguns contractos de serviço.

Fonte: Club-k.net
Schlumberger.jpg - 206.50 KBNo âmbito desta formação de quadros angolanos, a Schlumberger enviou à África do Sul, concretamente em Cape Town (Cidade do Cabo), vários estudantes que neste momento encontram-se abandonados e sem nenhuma assistência.

A schlumberger é a líder na prestação de serviços para a exploração do petróleo angolano, mas tornou-se a péssima no tratamento do angolano. Os estudantes já estão a dois meses sem os respectivos subsídios, sem a renda e propinas da escola pagas.

Muitos já foram postos fora das suas residências por não cumprimento dos contratos da renda (visto que não pagam a renda a dois meses por falta de dinheiro)  e são obrigados a procurar abrigo em casa de amigos.

Muitos não estão a frequentar as aulas por não conseguirem efetuar as matriculas referentes ao segundo semestre por causa da dívida que a empresa têm com as usas Universidades. Os estudantes encontram-se sem meios de sobrevivência e muitos são obrigados a recorrer à empréstimos.

As coisas sempre estiveram mal e deterioraram-se desde que o cargo de gestor de recrutamentos e relações com as Universidades (Recruiting & University Relations Manager) passou a ser ocupado por angolanos.

Quando o cargo era ocupado por um estrangeiro as bolsas eram atribuídas aos melhores estudantes das instituições de ensino angolano, que passavam por várias fases de testes e entrevista.

E agora que o cargo de Recruiting & University Relations Manager é ocupado por angolanos, as coisas foram de mal à péssimo com a criação dos chamados ''The special ones'' constituído por filhos, sobrinhos, familiares até mesmo namoradas destes chefes de recrutamento e gozam de um tratamento especial.

Para além dos subsídios da empresa que auferem, também recebem dinheiro dos seus pais e muitos são simultaneamente bolseiros do Ministério dos Petróleos.

E aos que não fazem parte da “Elite de Luxo” dos ''Special Ones'' são postos em bandalha, sofrem expulsões injustas sem prévio aviso, passam fome e estão sem abrigo. E esta,  é a menoria que mais esforça-se para continuar com os seus estudos, mas têm estado a encontrar várias dificuldades por falta de meios e condições, pois são de famílias humildes, órfãos e não tiveram a sorte de fazer parte dos ''Special Ones''

Por favor, queremos que alguém de direito ou o Country Manager da Schlumberger vê-le por estas situações Desumanas.

A Associação dos Bolseiros da Schlumberger,

Cape Town- South Africa, aos, 01 de Augusto de 2014.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: