Luanda - O Secretariado Nacional do Bloco Democrático deplora a grave situação ocorrida na província do Huambo e que culminou na morte de 9 polícias e, diz­se, de várias centenas de cidadãos alegadamente pertencentes ao grupo religioso "Igreja do Sétimo Dia: A Luz do Mundo". Dezenas de cidadãos encontram­ se detidas, enquanto continuam as buscas com critérios atentatórios aos mais elementares direitos de cidadania.

Fonte: BD

O Bloco Democrático recorda também, com tristeza, que a presente situação dramática foi antecedida de graves perturbações ocorridas na província do Bié.

O Bloco Democrático endereça a todas as famílias enlutadas as suas mais profundas condolências, extensivas à Polícia Nacional de Angola.

Numa altura em que a sociedade civil angolana e a classe política – com excepção do Partido da situação – estão extremamente preocupadas com o retorno à violência e, por isso, se discute arduamente as memórias do passado, para que elas não se repitam, vamos assistindo a assassinatos em massa, torturas, perseguições e prisões, criando, assim, um clima de tensão inapropriado, sendo pisoteados todos os procedimentos legais, que conferem segurança a um Estado de Direito Democrático.

O Bloco Democrático assiste com extrema preocupação:

  1. À manipulação da informação por parte dos órgãos públicos de comunicação social.
  2. As declarações alarmantes e que não resistem ao confronto com os factos e a sua lógica, por parte de instituições com responsabilidades de Estado como, por exemplo, a Polícia Nacional.
  3. As declarações de aproveitamento político, recorrendo a uma retórica incendiária e irresponsável do passado recente, do Partido da situação, acusando “outras forças” de estarem por detrás da seita de “Kalupeteca”, sem acrescentar quaisquer factos relevantes.

O Bloco Democrático entende, pois, ser necessário não só travar a dinâmica da violência material, como, igualmente, travar as intenções malévolas, para se evitar a repetição da história, agora, num contexto em que o país vive um descontentamento inigualável, marcado pela incapacidade do regime em satisfazer, nos mais variados domínios, as necessidades materiais e espirituais das comunidades e dos cidadãos.

Assim sendo, o Bloco Democrático exige:

  1. A realização imediata de um inquérito aos factos ocorridos.
  2. A constituição de uma Comissão Parlamentar de Inquérito, onde todos os envolvidos sejam ouvidos, nomeadamente, os Ministérios da Cultura, Defesa, Interior, assim como o Governo Provincial do Huambo.

LIBERDADE, MODERNIDADE E CIDADANIA

SECRETARIADO NACIONAL DO BLOCO DEMOCRÁTICO­

BD, em Luanda, aos 22 de Abril de 2015.

O SECRETÁRIO GERAL

João Alfredo Baruba



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: