Huambo – As autoridades angolanas estão a implementar medidas com vista a desencorajar ou impedir que os advogados David Mendes e Salvador Freire da Associação Mãos Livres, sejam constituídos como assistentes de defesa do pastor José Julino Kalupeteka, líder da - não reconhecida - Igreja Adventista do 7o dia “a luz do mundo”, instalada no planalto central.

 Fonte: Club-k.net

Desde que o advogado David Mendes manifestou publicamente a sua disponibilidade para acompanhar o caso, avolumaram-se medidas para o desencorajar. De acordo com constatações, as autoridades terão submetido o pastor José Julino Kalupeteka a sessões de tortura para que o mesmo rejeite o advogado. Gesto idêntico foi extensivo aos seus familiares que estão a ser pressionados para não aceitar David Mendes.

 

As autoridades comprometaram-se ser elas próprias a arranjar um advogado para o líder religioso.

 

O receio com que as autoridades manifestam em desfavor a David Mendes, é no entender de meios que acompanham o assunto, por este advogado levantar questões sensíveis que podem comprometer o regime angolano e suas praticas como aconteceu no caso Cassule /Kamulingue, os dois activistas executados pelo governo angolano, em 2012.

 

Com a entrada de David Mendes, em cena, há receios que as autoridades possam a vir ser responsabilizadas pela execução de civis na Caála, e o encobrimento de valas comuns que estão a ser usadas para despejar cadáveres de centenas de fieis assassinados no passado dia 16 de Abril, numa operação que envolveu a Polícia e Forças Armadas Angolanas.

 

David Mendes é visto como um advogado descomprometido como o regime pelo que estaria em condições de provar que as mortes dos agentes da Policia Nacional na foi a mando do pastor José Kalupeteka, e que os seus fieis agiram desta forma quando os elementos da ordem publicam tentavam prende-lo.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: