Luanda - Enquanto em algumas regiões da Ásia antigamente era aplicado nos joelhos dos presos para os torturar de forma tão cruel e brutal chegando a ganhar o nome de ( esmaga joelhos ) .

Fonte: Fórum Livre Opinião & Justiça

Em Angola curiosamente sob o olhar de Agostinho Neto , Lúcio Lara e outros este instrumento apareceu em algumas cadeias e locais improvisados de tortura e já não era aplicado aos presos nos joelhos mas sim na cabeça .

Imaginem manos este grampo que ganhou o nome de ( Nguelelo ) dado pelos presos improvisado por Carlos Jorge , também conhecido por ( Mariguelas ) ou Kajó nomes trazidos de Cuba onde especializou em artes para matanças com certeza, posto na cabeça de um preso ?

O nguelelo foi uma das arma mais mortíferas utilizadas por alguns operativos da DISA na hora dos interrogatórios para forçar confissões , e com ele uma vez posto á cabeça seja na do homem mais forte deste mundo raramente este não acaba por dizer coisas que ate nem sabe e não é verdade .

Isto não na tentativa de se livrar da morte mais forçado pelo efeito provocado pelo quase esmagamento da sua cabeça pelo nguelelo...

Este instrumento também foi utilizado na Europa medieval como forma de castigar ladrões um dispositivo horrível pontiagudo que penetrava na carne da vitima e é , por essas e outras que não teria nada contra que certos mortos que foram tão cruéis e brutais enquanto viveram , além de que não deveriam ter nascido , depois de mortos deveriam ser enterrados algemados .

E tal não seria novidade para ninguém se considerando que isto ja aconteceu também na idade medieval ...

Em fim , os tempos hoje são modernos , os ladrões circulam livremente , enquanto quem se arroja á pensar com a sua própria cabeça raramente não está condenado á morrer lentamente de desgosto ou de humilhações permanentes e exemplos não faltam .

E só para citar alguns aqui temos ; os julgamentos e condenações forjadas , as ameaças de morte quase diárias de advogados que não alinhem com a injustiça , os raptos diários e as barras de ferro na cabeça de quem não fica calado entre outros tantos exemplos existentes.

Conclusão não sou de render homenagem á cruéis e nem deito uma lágrima por quem fez sofrer tanta gente de uma só vez não apenas no 27 de Maio de 1977 pois muita coisa sobre as mortes de políticos ainda no tempo do ( maqui ) na guerrilha ainda não publicamos enquanto outras obras nem se quer estão concluídas.

Isto não é nenhuma campanha contra os mortos que foram tão brutais direita ou indereitamente ou cúmplices de assassinatos onde tinham poder para travar , mais optaram por estimular encorajando verdadeiros assassinos .

Deus que abençoe Angola e os angolanos !

Fórum Livre Opinião & Justiça

Fernando Vumby



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: