Lisboa - Uma corrente interna do MPLA, está com desconfianças que o novo líder do partido, João Manuel Gonçalves Lourenço tenha sido enganado quanto ao critério curricular do novo Presidente da bancada parlamentar, Américo António Cuononoca, julgando-se ser um jurista de formação.

Fonte: Club-k.net

Conselheiros pensaram  que fosse jurista de formação 

Natural do Moxico, Américo António Cuononoca é antropólogo de formação, e ligado a cultura. Há suspeitas de que o erro quanto a sugestão do seu nome terá partido de uma ala de conselheiros da linha de Carlos Maria Feijó. Incialmente, o Presidente não hesitou por o conhecer desde a década de oitenta ao tempo em que foi  governador provincial do Moxico.

 

António Cuononoca nunca esteve ligado a política. Entrou para o parlamento na segunda metade da legislatura anterior depois de ter sido exonerado das funções de director Geral do Museu Nacional de Antropologia. No parlamento foi colocado como Vice Presidente da 7ª Comissão parlamentar ligada aos assuntos culturais. É considerado um quadro conservador e de elevada educação religiosa. É, por outro lado,  desapreciado pela OMA com quem teve divergências de ponto de vista, quando a  questão da lei de punição ao aborto, e outras de caráter cultural. ou seja: O seu conservadorismo irrita a ala feminina do MPLA. 

 

O facto de não dominar questões sobre o ordenamento jurídico angolano  e outras sobre econômica, levanta fortes receios sobre como poderá vir a ser o seu desempenho como futuro  líder da bancada parlamentar dos camaradas, sobretudo ao enfrentar o seu “rival” da UNITA, Adalberto da Costa Júnior, que é um político bastante talhado.

 

O seu antecessor Salomão Loheto Xirimbimbi também não é jurista, mas é um perito em finanças carregando consigo a experiência de ex-vice ministro do plano, ex-ministro das finanças e de antigo governador provincial. Como líder da bancada parlamentar, Xirimbimbi consagrou-se, num curto espaço de tempo, como a figura dentro do partido que fez correções ao OGE deixado pelo ex-Presidente José Eduardo dos Santos.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: