Kuando Kubango - É a franja da sociedade angolana mais desprezada em todo país a julgar pelo seu modo de vida. Sem casa própria, sem emprego, vivem de promessas que não são cumpridas, muitos deles mendigos, alguns malucos e outros encontraram no mundo da droga a melhor forma de esquecer as vicissitudes da vida.

*F. Caetano
Fonte: Club-k.net
No Kuando Kubango são mais de 12 mil antigos combatentes controlados pelo gabinete provincial. Destes apenas metade recebe a pensão de sangue de 20 mil kwanzas por mês, valor considerado uma aberração por parte dos associados que preferiram não se identificar.

“Nós estamos num grande sofrimento. Antigo combatente sofre muito, muito e muito aqui em Angola. Nem uma casa do antigo combatente existe aqui”, avançou um dos associados.

A pensar no sofrimento e solução destes e outros problemas que vivem os homens que ontem deram o seu sangue, suor e lágrimas para uma Angola independente, o ministro dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, João Ernesto dos Santos “Liberdade”, está no Kuando Kubango.

Do encontro realizado na cidade de Menongue com os associados, o governador local Pedro Mutinde informou ao ministro que os antigos guerrilheiros da província sempre estiveram longe de beneficiarem de projectos sociais e nem estão inscritos na Caixa de Segurança Social das Forças Armadas Angolanas.

“Controlamos a gritante situação dos ex-militares não cadastrados na Caixa de Segurança Social das Forças Armadas Angolanas onde apenas são assistidos 1205 reformados, destes 834 das ex-FALA e apenas cerca de 371 das ex-FAPLAs, o que tem deixado algum descontentamento no seio deste grupo”, disse.

Por sua vez, o titular da pasta reconheceu, dizendo “aqueles problemas que têm a ver com o nosso ministério, nós iremos responder e esclarecer. Quanto aqueles que têm a ver com o Ministério da Defesa Nacional e com Ministério da Acção Social , nós faremos chegar essas preocupações”.

Constou da agenda de Liberdade a visita efectuada a cadeia do Missombo e deslocou-se igualmente ao heróico município do Kuito Kuanavale tendo rendido homenagem a todos heróis da batalha que mudou o teatro político de Angola e de outros países da África Austral.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: