Luanda - Exmos. Senhores, Venho dar-vos conhecimento de uma infeliz ocorrência que envolveu a companhia de aviação SONAIR e que comprova a manifesta falta de respeito dessa empresa pelos direitos dos seus clientes. Considerem-se livres de dar o tratamento jornalístico que entenderem a este meu relato e fazerem a divulgação junto dos vossos leitores que acharem adequada, apenas com a reserva da minha identidade.

Fonte: Club-k.net

Envio também em anexo cópias de alguns dos emails trocados com a SONAIR que documentam a situação que passo a descrever, assim como foto do estado em que ficou a minha mala. Poderão publicar esta foto mas peço que não o façam às cópias dos emails dado que eles contêm o meu endereço que pretendo manter confidencial.

==============================

No passado dia 11 de Abril viajei do Soyo para Luanda no voo SONAIR SO601. Logo que recolhi a minha mala no tapete do aeroporto 4 de Fevereiro constatei que ela estava partida em vários sítios (ver foto anexa) e por esse facto contactei de imediato o Chefe de Placa da SONAIR para que ele confirmasse o estado da minha mala e tomasse as devidas providências. Como é sabido, as companhias de aviação credíveis e os serviços de handling dos aeroportos mais importantes resolvem estes casos em poucos dias, às vezes numa questão de horas.

O Chefe de Placa da SONAIR pediu-me desculpa pelo acidente, tirou fotos da mala e disse-me que ia participar superiormente o ocorrido. 5 dias depois eu próprio mandei um email para os serviços comerciais da SONAIR reclamando dos danos causados e pedindo a correspondente compensação. Dias depois recebi a resposta pela qual aquela companhia de aviação declarava assumir as suas responsabilidades pelos danos causados.

Depois de inúmeros emails em que a SONAIR ia sucessivamente prometendo concretizar a indemnização a que eu tenho direito e porque entretanto se tinham passado mais de 2 meses, informei a companhia de aviação que eu considerava estar a ser alvo de manobras dilatórias que apenas tinham como intenção não honrarem o seu compromisso. Ou seja, reafirmavam sucessivamente a intenção de me compensar (chegaram a pedir-me o IBAN da minha conta bancária!) mas efectivamente nunca até hoje o fizeram. Manifestamente pretendiam vencer-me pelo cansaço!

Acabei por decidir informar a SONAIR que caso não me fosse pago o valor em dívida (o valor da mala) até ao final do mês de Junho, iria divulgar através da comunicação social o seu comportamento; o que só agora estou a fazer!

Note-se que estão em causa 50.000 Kwanzas e portanto nem sequer acredito que o problema da SONAIR seja o valor que me é devido. É, isso sim, a total falta de ética de uma empresa que envergonha Angola dando-se ao luxo de desrespeitar o seu principal activo: os seus clientes!

É por estas e por outras razões que empresas como a SONAIR têm os dias contados! Acabasse o protecionismo que lhe tem sido dado pela SONANGOL e essa companhia há muito que não existiria!

Triste País o nosso!...


António Almeida

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: