Lisboa - A recente exoneração do administrador executivo para a Área Financeira da TPA, Bidima Mateya Jorge é justificada, por fontes do ministério da comunicação social, em Angola, como correspondendo a uma proposta do anterior PCA, José Fernando Gonçalves Guerreiro feita ao ministro João Melo, semanas antes de ser exonerado da televisão estatal no passado dia 16 de Outubro.

Fonte: Club-k.net

Na TPA, segundo, outras fontes, a saída de Bidima Jorge já era “esperada”. De acordo com explicações, o ex- PCA José Guerreiro e o administrador Bidima Mateya Jorge estavam a ter  discordâncias sobre prioridades das finanças da televisão estatal. O primeiro além de ter estado como PCA da TPA é também o sócio  da empresa TVC que a vários anos gere os serviços de publicidade da televisão estatal. Bidima Jorge por sua, estava a ser visto pelo então PCA, como estando a dificultar a prestação de contas entre   a TPA e a TVC, de José Guerreiro. 

 

No sentido de harmonizar o ambiente na empresa, o Ex- PCA, José Guerreiro, muito ligado ao ministro solicitou a substituição do administrador financeiro e em seu lugar propôs a nomeação de  um amigo, Rui Carlos Cardoso Ramos, que desempenha as funções de Director do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística (GEPE) do Governo Provincial de Malanje.

 

O ministro da comunicação social, Aníbal João da Silva Melo, reconsiderou a proposta  e remeteu ao palácio Presidencial para formalizar a nomeação nos termos do artigo 120 e do n1 do artigo 125 ambos da constituição da República de Angola.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: