Luanda – O Centro Polivalente Nzoji, localizado na comuna de Nguengue, município de Viana, em Luanda, recebeu esta segunda-feira, 03 de Dezembro, um lote de medicamentos com mais de 20 produtos diversos para reforçar a sua repartição de saúde que acolhe 520 crianças em regime de internato. A iniciativa de apoio a esta instituição é do Cofre de Providência do Pessoal da Polícia Nacional (CPPPN).

Fonte: Club-k.net
Segundo o presidente de direcção do CPPPN, o comissário Luís Alexandre, o objectivo da doação visa minimizar a carência de fármacos na repartição de saúde, embora não seja o seu objecto social, de modos a garantir o bem-estar de 828 crianças que o centro alberga, entre internos e externos.

 

“Não temos vocação de entrega de medicamentos mas a nossa memória regista intervenções periódicas neste centro, no intuito de ajudar para o bem-estar destes meninos”, justificou.

 

Na ocasião, o comissário Luís Alexandre garantiu que dentro de dois meses a clínica afecto à instituição que dirige arranca para apadrinhar o Nzoji e melhorar a assistência de serviços de saúde aos efectivos da Polícia Nacional, tendo reconhecido, por outro lado, a prestimosa parceria existente com outras instituições que procederam a doação, ora entregue ao Nzoji.

 

“Recebemos este lote de medicamentos que nos foi oferecido por um dos nossos parceiros. A nossa clínica ainda não arrancou, por isso achamos que o sítio certo seria o Nzoji para que os meninos possam ter boa saúde disposição às aulas”, disse.

 

Para o director do Nzoji, comissário Orlando Mendes Alves, a doação recebida do CPPPN faz toda diferença para a instituição vocacionada a formação académica de “carenciados filhos órfãos de ex-polícias de diferentes órgãos do Ministério do Interior”, que podem ser recebidos a partir dos seis nos de idade.

 

Embora sem enumerar as vicissitudes, o director do Nzoji, Orlando Alves, admite haver algumas dificuldades para assistência dos petizes de forma geral, porquanto o centro acolhe em regime de internato apenas crianças do sexo masculino na ordem de 520 alunos saídos de todo país, e cerca de 100 do género feminino estudam em regime de externato.

Apoio à comunidade

Inaugurado em Março de 2004 pelo então primeiro-ministro, Fernando da Piedade Dias dos Santos, este ano lectivo a instituição matriculou 828 alunos do ensino primário à décima primeira classe (10ª), dos quais 308 são crianças circunvizinhas do centro, na medida em que a assistência médica e medicamentosa contempla igualmente a comunidade ao redor que acorre ao centro médico do centro polivalente por falta de serviços de saúde pública na localidade.

 

“As meninas vêm estudar, passam o dia connosco, depois do almoço regressam para o seio familiar. Para além de apoiar aos alunos internos e externos, também damos assistência médico e medicamentosa às populações circunvizinhas”, ressaltou o comissário.

Doenças frequentes

Por seu turno, o chefe da repartição de saúde do internato, superintendente Firmino António Sampaio, elogiou a iniciativa de apoio por parte do CPPPN, que reforça com medicamentos o posto médico que dirige, pelo que acha estar ajustado a realidade do centro, embora não satisfaça todas as necessidades.

 

Entre as doenças mais frequentes, segundo o médico, constam a malária, doenças respiratórias agudas, traumatismo e algumas doenças relacionadas à dermatologia. O médico clama por mais uma ambulância para auxiliar a única viatura existente que nem sempre corresponde prontamente em caso de emergências para transferir pacientes considerados graves.

Assistência psicopedagógico

Já a chefe da repartição do gabinete psicopedagógico do Nzoji, intendente Isabel de Brito, que acompanha a atitude comportamental das crianças, alega que as mesmas durante o internamento podem apresentar três tipos de comportamentos, “assertivo, passivo e manipulador.

 

Para o caso de alunos com manipulador, o trabalho tem sido mais redobrado e árduo no intuito de “influenciar as boas práticas de convivência no seio dos colegas e melhorar o aproveitamento académico”. Todavia, alega a assistente, grande parte dos meninos que entram com comportamento manipulador são indicados por encarregados de educação que pensam que o “internato é um centro de reeducação”.

 

Actualmente o centro conta com 20 salas de aulas. Entre os cursos profissionais constam serralharia, informática, carpintaria, agricultura. A actividade académica é compensada com práticas de desportos e educação física, dança, guitarra, canto e música, teatro e artes plásticas.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: