Luanda - Angola registou de 2008 a 2017, um total de 140 mil acidentes de viação, com 17 mil mortos e 130 mil feridos, revelam dados da Direcção Nacional de Viação e Trânsito (DNVT).

Fonte: VOA

A Associação dos Taxistas de Angola afirma que 80 por cento dos acidentes são causados pelas mas condições das estradas e falta de iluminação pública.

 

Entretanto, apesar de não ser prática, é possível responsabilizar o Estado

 

Geraldo Wanga, presidente da Associação dos Taxistas de Luanda, (ANATA), afirma mesmo quando a culpa é da falta de iluminação ou as más condições das estradas, o Estado nunca é responsabilizado.

 

“Mesmo quando a culpa é do Estado, ele nunca indeminiza e o mais grave ainda é que por culpa do Estado o cidadão é detido e obrigado a pagar uma coima para que seja reposto um poste ou um placar solar”, denuncia Wanga.

 

Entretanto, o jurista Domingos Betico apela para a responsabilização do Estado quando for culpado.

 

“Nada obsta que o Estado seja responsabilizado quando por culpa de um agente criam-se danos na esfeira de um particular”, acrescentou Betico.

 

A sinistralidade rodoviária em Angola é motivo de reflexão pelo menos uma vez por ano.

 

O Dia Mundial em Memória das Vítimas da Estrada foi instituído pela resolução A60 de 25 de Outubro de 2005, das Nações Unidas, que decretou o terceiro domingo de Novembro como data da efeméride.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: