Luanda - Caros correligionários e companheiros de luta pela causa da inclusão e realização dos menos equipados: "a melhor e mais honrosa das trajectórias tem obstáculos".

Fonte: Club-k.net


1.Na vida das organizações há circunstâncias que surgem e proporcionam oportunidades raras para a meditação e reflexão. Em todas circunstâncias históricas a UNITA teve sempre capacidade para meditar e reflectir, em suma, realizar estudos profundos dos por que's e quais conclusões e lições.Foi assim em 1966, 1967/68, 1974,1976, 1977,1982, 1984, 1989/90, 1992, 1994, 1995, 1996, 1998, 1999, 2001, 2002, 2003 e vai ser assim em 2019.


2.Sabemos de onde viemos, onde estamos e para onde vamos.


3.O nosso mestre dizia que o combate político tem amplitude e profundidade, por isso, como quadros da UNITA devemos ter sempre presente que o Poder Político apresenta duas dimensões que representam dois momentos distintos que são o seu exercício e a competição por ele. Neste momento de competição pelo PODER devemos falar permanentemente para os angolanos, falar da nossa visão, do nosso projecto de sociedade, sobretudo, transmitirmos mensagens de esperança e apresentarmos propostas alternativas de governação.


4.Nós quadros da UNITA devemos fixar o foco das nossas publicações, mensagens , declarações ou acções na protecção e defesa da cidadania inclusiva.


5.Em 2020, ao povo angolano, não será colocada uma simples escolha de órgãos representativos locais, antes uma decisão histórica entre a legitimação das lideranças do passado, as mesmas que construíram o ESTADO de pobreza, miséria, corrupção, exclusão e desigualdades e, a esolha de novas lideranças portadoras de esperança e comprometidas com a justiça social e económica, a dignidade e a prosperidade das pessoas, por isso, a intensificação da preparação do Partido para as autarquias é incondicional e não espera pela realização do tão importante XIII Congresso!


6.Nós quadros da UNITA não podemos nem devemos perder tempo com o passado. O nosso foco deve ser o futuro, a fiscalização e controlo da governação actual. Na nossa prática diária devíamos demonstrar o nosso comprometimento com o futuro de dignidade e prosperidade dos angolanos.


7.Preocupa-me alguma acentuada distracção que tem presidido e marcado o comportamento e a atitude de alguns dirigentes e quadros da UNITA o que manifesta desvio do foco da nossa razão de ser e da essência da competição pelo PODER Político que pretendemos alcançar e exercer.


8. Na luta política cada grupo ou organização tem os seus interesses. A luta democrática precisa ser pensada e conduzida com capacidade para se tirar proveito das fraquezas e crises dos adversários principais e produzir derrotas ao concorrente principal, abrindo portas à realização da Angola de dignidade e prosperidade de todos.


9.Precisamos redireccionar o foco da luta política, da competição interna para a competição para o alcance e exercício do Poder Político.


10. Caros correligionários!


É preciso muito estudo, mas acima de tudo é preciso que os quadros abnegados, coerentes e consequentes tenham qualidades de audácia, astúcia, previsão, sabedoria para influenciar e participar das mudanças da época. É preciso disciplina consciente, visão estratégica, espírito de missão, vinculação dos quadros às bases e adesão militante à estratégia de luta prevalecente, caso contrário a história seguirá em frente!


11.Devíamos estudar continuamente a natureza do regime e as características do combate político-ideológico, sabermos analisar os fenómenos sociais e compreender as fraquezas das revoluções africanas , não para sermos historiadores, mas para sabermos como tratar e colocar os assuntos e onde colocá-los. Saber quando avançar ou quando recuar para preservar a imagem e força da organização é um FACTOR CRÍTICO de SUCESSO.


12. Como revolucionários e percursores de uma causa justa precisamos compreender por que os exploradores das classes mais desfavorecidas têm sido ou foram capazes de se manter no poder durante 44 anos !
13. Quem se coloca a tarefa de realizar a alternância do Poder Político, pensar a mudança de regime e a transformação da sociedade e da cultura, tem que saber observar, prever, planear e decidir para alcançar o resultado pretendido.


14. A UNITA é uma força política criada para produzir mudanças profundas e qualitativas. A missão útil da UNITA é promover a prosperidade, a justiça social e económica, a solidariedade, o trabalho e a dignidade. A UNITA propõe-se governar Angola para assegurar a realização e protecção de Direitos, criar oportunidades iguais para as pessoas, famílias e empresas, atraír investimentos, erradicar a fome, a pobreza e a exclusão.


15. O nosso propósito central é empreender o desafio político-democrático contra o regime de exclusão, de injustiças, de hegemonismo e dominação de grupos. Para a realização da nossa missão e visão, precisamos compreender a amplitude, profundidade e complexidade do combate político.


16.Nenhuma liderança ou organização política na oposição serão bem sucedidas se os quadros não mantiverem o foco na disputa pelo PODER Político.


17.Quem não tem ou não teve coragem de criticar a ditadura e a má governação não tem moral de criticar àqueles que têm mantido o projecto vivo e vibrante!


18. Caros companheiros, àqueles que quiserem apoiar candidaturas à liderança da UNITA têm de ter credenciais de coragem contra o regime, sobretudo, autoridades política e moral.


19. "A garantia de não sermos derrotados está em nossas mãos, mas a oportunidade de Vitória é fornecida pelo adversário." Não sejamos quadros que fornecem ao adversário a oportunidade de se levantar.


20.Qualquer que seja a futura liderança, o sucesso da UNITA só será possível se os quadros mantiverem o foco
na competição pelo PODER Político do Estado.


21. A nossa estratégia de consolidação da posição da UNITA como ALTERNATIVA CREDÍVEL para Angola exige seriedade, convicção, espírito de equipa, maturidade, sobretudo, foco, disciplina, dedicação, CONFIANÇA, motivação, comprometimento, persistência e visão estratégica.


22. O nosso futuro começa em 2020 com a realização das autarquias locais em todos os municípios.


23.Honremos a memória do Velho Jonas realizando a cidadania inclusiva e participativa.


24.A fase de organização e realização das exéquias do Mestre é um período de recolhimento, unidade, coesão, sobretudo, de respeito e consagração da Memória do Velho Jonas, por isso, deixemos cair as pequenas diferenças de aproximação estratégica. Depois das exéquias, podemos definir estratégias para o XIII Congresso(II semestre) com elevação, decência e respeito pela diferença, valores que nos são intrínsecos .Até lá, priorizemos o essencial.


25.Posicionemo-nos na dimensão dos desafios que levaram à criação da UNITA.


Viva Angola!
Viva a UNITA!
Viva a Memória Heróica do Dr Jonas Malheiro Savimbi


Huambo, 17 de Maio de 2019

Com elevada consideração,
Liberty Chiyaka



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: