Barra do Kwanza - O Presidente angolano, João Lourenço, considerou hoje que Angola vive o "momento ideal" para se investir em todos os domínios, considerando que o desporto, nomeadamente o golfe, pode tornar-se num "grande embaixador" do país.

Fonte: Lusa


João Lourenço falava aos jornalistas à margem da abertura do torneio "Presidential Golf Day", agendado para hoje no Campo dos Mangais, junto à foz do rio Kwanza, próximo de Cabo Ledo, a 60 quilómetros a sul de Luanda.

 

O governante salientou que o golfe pode desempenhar um papel "muito importante" por estar também próximo do setor do turismo, um dos que Angola pretende desenvolver.

 

Para o chefe de Estado, o evento poderá ser o "ponto de partida" para os turistas que queiram visitar Angola.


Em relação ao investimento no país, o Presidente reiterou que Angola já criou o ambiente para atrair investidores estrangeiros, tendo indicado que os primeiros a fazê-lo terão vantagens, que não especificou.

 

O torneio de golfe foi aberto, simbolicamente, com uma tacada rasteira de João Lourenço no primeiro buraco do campo, dando início a uma competição que levou a Angola cerca de 50 golfistas em representação de vários países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), integrada no Fórum Mundial do Turismo, que vai decorrer em Luanda de 23 a 25 deste mês.

 

Após a abertura da competição, João Lourenço, acompanhado da 'primeira-dama', Ana Dias Lourenço, e das ministras angolanas da Juventude e Desportos, Ana Paula do Sacramento Neto, e do Turismo, Ângela Bragança, inaugurou a escola de equitação do Clube Mangais.

 

Além da componente desportiva, Angola procura, com o "Presidential Golf Day", a interação entre homens de negócios visando parcerias no âmbito do programa do Governo destinado à diversificação da economia.

 

A ideia é apresentar o país, por via do golfe, modalidade associado mundialmente à elite empresarial, visando a criação de condições de parcerias nos diversos domínios da economia nacional, à semelhança do que acontece em várias partes do mundo.

 

O Complexo Mangais Golf Resort está integrado na fazenda homónima, que cobre uma área de 450 hectares e que funciona em pleno, desde 2011, contando com dez 'bungalows' (suites) de estilo tradicional africano, que sobressaem no meio da vegetação.

 

O projeto, que envolve a construção de um hotel, tem ainda uma marina (parque) fluvial para 30 embarcações, um aeródromo com pista asfaltada de dois quilómetros, um 'taxi-way' de acesso a vivendas, área de lazer com campos de ténis e outras ofertas internas.

 

Mangais fica junto ao Parque Nacional da Quissama, onde existe diversidade nas espécies, desde elefantes, girafas, bâmbis, leque, tartarugas, cobras, gnus, crocodilos, hipopótamos, zebras, manatins, aves diversas, esquilos e macacos.

 

O campo de golfe foi desenhado pelo arquiteto português Jorge Santana da Silva (desenvolveu projetos em diversos outros países), estando atualmente em curso o processo para ser reconhecido pela Associação Profissional dos Golfistas (PGA).

 

Construído com elevados padrões de exigência e qualidade, o campo tem 18 buracos com a distância máxima de cerca de sete mil metros, forte característica de um 'championship course'.

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: