Lisboa – De regresso ao país, o chefe da diplomacia angolana, Manuel Augusto foi notificado esta terça-feira (21) pelo Tribunal Supremo respeitante a providencia cautelar (Processo n.º 118/19) que pede a suspensão do último Concurso Público lançado pelo Ministério das Relações Exteriores (MIREX).

Fonte: Club-k.net

Supremo suspende concurso de ingresso  no MIREX

Enquanto a câmara do cível do Supremo ter em mãos o processo, ficou determinado que o concurso deve parar imediatamente, sob pena dos responsáveis do Ministério das Relações Exteriores incorrerem numa pena de desobediência.

Segundo esclarecimentos, os mesmos não podem praticar mais nenhum acto, pelo que o concurso fica suspenso, até ser proferido o acórdão do Tribunal Supremo.

 

O referido foi levantando no passado dia 18 de Março do corrente pela Associação de Diplomatas de Angola (ADA), que reclama ter havido no concurso de ingresso ao MIREX, “graves irregularidades” e interferências das chefias deste departamento governamental que "prejudicam gravemente os funcionários em geral".

 

Recentemente surgiram reclamações de pessoas que participaram no concurso exigindo revisão das suas provas de acesso. A resposta que terão recebido de funcionários do MIREX, é que as provas foram corrigidas electronicamente, sendo assim ocorre a impossibilidade de revisão.

 

Há também reclamações posto em causa à imparcialidade e a responsabilidade do Júri, com particular realce para o seu Presidente. As reclamações são baseadas no facto de que as jovens que trabalham nos recursos humanos do MIREX também participaram no concurso e são as mesmas que trabalharam em todo processo e com acesso as informações privilegiadas. Todas elas aprovaram no concurso, gerando um enorme descontentamento a volta do concurso que acaba de ser suspenso pelo Tribunal Supremo.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: