Lisboa  – Nasceu  no Bairro Operário, em Luanda, aos 16 de Junho de 1943 e vem desde os seus 19 anos de idade, a desempenhar actividades políticas.  António Alberto Neto é o autor da bandeira do MPLA, partido ao qual aderiu muito cedo e veio a se tornar seu  representante nos países Nórdicos e Escandinavos da Europa de 1970 a 1973.  Mais tarde rompeu com o MPLA, foi preso  durante 9 meses em Luanda e a Amnistia Internacional qualificou lhe, em 1981-82, como “Prisioneiro de consciência” .


Fonte: Club-k.net

Autor da bandeira do MPLA

 Fundou em  Janeiro de 1991 o Partido Democrático Angolano (PDA) de que é Presidente. Concorreu as eleições  de 1992 e saiu em 3º lugar.  Há quem diga que  o numero de votos que conseguiu deveu-se ao facto de os populares terem julgado  de que estariam a votar  no  nome do primeiro presidente de Angola, Agostinho Neto, por sinal, seu tio.

 

Por não ter havido  vencedor  que alcançou a requisitada percentagem de 50% + 1, dos votos, nas eleições de 1992 deu  se lugar a  necessidade de uma segunda volta. Desde então ocorreram coisas estranhas no país. O MPLA e a UNITA colocaram Luanda sob fogo no dia em que iriam assinar o memorando que definia a data da segunda volta das eleições presidências. Na mesma esfrega,  Alberto Neto é detido pelo MPLA, em Novembro de 1992.

 

Ostenta um currículo  de se invejar. É professor da Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto. Foi o primeiro  Decano da Faculdade de Direito de Luanda em 1975. mas foi depois impedido de trabalhar no ensino superior de 5 de Dezembro a 14 de Julho de 1989 da mesma  Universidade.  Hoje há   quem arrisca a defini-lo como um dos que melhor domina matérias  de constituição em Angola. É a ele que vários juristas com realce os da oposição buscam parecer quando esta em curso no país, violação contra a constituição.

 

Fez os seus estudos primários e secundários em Luanda. Oeiras (Portugal) e Chanbom-sur-Lignon (França). Estudos superiores de Ciências Política, Direito e de Sociologia na Universidade de Ciências Sociais de Grenoble; Diploma, Licenciatura e Diploma de Estudos Superiores de Direito Público e Doutorado em Ciência Política; Especialidade de Direito Constitucional Comparado no curso de Regimes semi-presidenciais do Professor Maurice Duverger na Universidade de Paris I Sorbonne de 1982-1983 (Centro de Estudos de Direito Constitucional Comparado).

 

É visiting fellow no Queen Elizabeth House na Universidade de Oxford durante o Hillary e Trinity semestre (Janeiro – Julho) de 1986-1987; Estudos dos sistemas políticos africanos; Professor convidado regente da cadeira de Direito Político e Constitucional na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias de Lisboa em 2000; Professor visitante no King´s College – Departamento de Estudos de Guerra – Universidade de Londres de 1987-1991- Estudo sobre a estratégia de conflitos na África Austral; Curso de verão de formação e ensino superior em Diretos Humanos e Direito Humanitário no Instituto Internacional dos Diretos Humanos René Cassin- na Universidade de Estrasburgo-França (1997-1999).

 

Alberto Neto é  membro de várias organizações internacionais, e associações humanitárias nacionais.  Vice-presidente da Associação dos Juristas Africano (A.J.A) e membro da Associação Africana de Ciência Política (AACP).

 

Obra literária  inclue Poemas em Liberdade, 1993 Windhoek;, Lalipo, (novela) 2001Lisboa; Chongolola (poesia) 2000 Lisboa; Instituições políticas e sistemas constitucionais nos países africanos de expressão portuguesa, 2003 Lisboa; O Presidente da República Portuguesa e a revisão constitucional, 1987 Paris; A Publicar: Diário do Terceiro Exílio (prosa e poesia) Alberto Neto-A outra cara de Angola (entrevistado pela jornalista Rosa Kiamuxinda).



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: