Luanda - Analistas angolanos não colocam de lado mais “ataques” entre as alas afectas a José Eduardo dos Santos e João Lourenço no seio do MPLA, partido no poder em Angola, mas admitem, também, que não devem colocar em causa nem o partido nem o Presidente da República.

*Coque Mukuta
Fonte: VOA

"Suspensão mostra  braço-de-ferro entre JL e a família Dos Santos"

Na sexta-feira, 7, a deputada do MPLA Welwitschia dos Santos “Tchizé” acusou o Comité Central do partido no poder de golpe baixo e de estar a fazer tudo para afastá-la do congresso porque os dirigentes “têm medo” dela.

 

“Eu sou, talvez, a única militante com coragem para ir ao congresso e por em causa e impugnar isso que está a ser proposto e estão a fazer um golpe baixo para eu não ir ao congresso”, afirmou a filha de José Eduardo dos Santos, ao reagir à decisão tomada no mesmo dia pelo Comité Central, de lhe suspender do órgão e de lhe abrir um processo disciplinar.

 

O consultor jurídico e coordenador da Plataforma para a Cidadania, Walter Ferreira, considera que a briga entre João Lourenço e a Tchizé dos Santos “não vai por em causa o futuro do MPLA, nem mesmo a governação de João Lourenço”.

 

Por seu lado, o politólogo Rui Kandove diz que a suspensão vem mostrar um claro braço-de-ferro entre João Lourenço e a família Dos Santos.

 

“Depois do congresso, quando tudo ficar claro, certamente os ataques àgovernação podem intensificar-se”, adverte.

 

Kandove admite que, num eleitorado cuja maior possui entre 18 e 40 anos,com estes “ataques” Tchize dos Santos pode conseguir apoios à sua luta.

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: