Luanda – De acordo com uma nota chega à redacção do portal Club-K Angola, a ‘Fundação 27 de Maio’ está a realizar, em todo país, o registo dos órfãos e das vítimas sobreviventes do “fatídico” acontecimento de 27 de Maio de 1977, ocorridos há 42 anos.

Fonte: Club-k.net
a fundaao 27 de maio.jpg - 186.61 KbA triagem visa o cadastramento efectivo de todos envolvidos no processo, com objectivo de se proceder a entrega formal do processo à “Comissão” criada por despacho do Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, sobre a resolução dos conflitos políticos desde 11 de Novembro de 1975 a 2022.

Para a materialização do desiderato, foram credenciados delegados em todas as províncias, que, à devida altura, junto dos órgãos de comunicação social, divulgar-se-á os procedimentos que se impõem. Em Luanda, as inscrições estão a ser feitas na estrada nova do Palanca, casa nº 111.

Segundo a nota assinada pelo Presidente do Conselho de Administração da ‘Fundação 27 de Maio’, José Adão Fragoso, para efeito da reconciliação nacional, criou-se a referida “Comissão” por Despacho Presidencial, que de um tempo a esta parte vem trabalhando no processo, sendo que a “Fundação 27 de Maio”, por sua vez, já remeteu as propostas dos seus objectivos, bem como terá igualmente delegado, junto da comissão, um representante para a resolução do diferendo.

Para todos os efeitos, citamos o comunicado, “solicita-se e apela-se a colaboração de todos, não só as famílias das vítimas e sobreviventes, mas também a sociedade civil, as organizações não governamentais e ao povo angolano amante da paz, da concórdia e quiçá da reconciliação efectiva dos angolanos desavindos, não apenas do período em referência, mas também da luto anti-colonial”.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: