Luanda – O empresário marfinense Dabine Dabire, radicado temporariamente negou postas a circular, nas redes sociais, sugerindo que estaria a ser procurado por um tribunal de Itália para uma eventual detenção pelas autoridades daquele países europeu.

Fonte: Club-k.net

Uma nota divulgada pela assessoria de imprensa do empresário, refere que caso a informação fosse verdadeira “a Interpol já teria estado em Angola e o Sr Dabiré teria sido extraditado após a sua eventual sentença.”

 

Respeitante a um documento (notificação) anexado a informação, a assessoria de Dabine Dabiré, esclarece que “Num espírito de equipa, tomamos a liberdade de informar que a notificação em causa, está relacionada a uma violação por excesso de velocidade de 2015 - aberto para averiguação por parte dos interessados deste caso”.

 

A assessoria do líder do “MAS Group”, diz entender “os motivos das constantes notícias sobre Dabine Dabiré, e que estas sejam vistas como ações de "ataque e defesa" com o objectivo de influenciar a opinião dos leitores e decisões de quem de direito tentam a todo custo que este projecto (do MAS Group) não seja implementado/materializado neste mandato do actual governo de formas a não cumprir com os seus objectivos”.

 

A fonte que fazemos referencia acrescenta que o objecto dos autores destas noticias é de levar ao descredito o senhor Dabine Dabiré que “fora convidado a abandonar o país e pedir indemnização mas ele não pactuou com isto daí os constantes ataques para se fazer o diversionismo e ganharem tempo de tal sorte que passe o período pretendido pelos Nêmesis.”

 

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: