Huambo - Uma cidadã vê-se privada do seus salários desde Janeiro último, por erro da secção dos recursos humanos da repartição Municipal da saúde. Técnica média de saúde há 26 anos, Emília Bundo, foi excluídas das folhas salários por ter sido confundida com, Emiliana Jamba, técnica auxiliar de limpeza falecida em Dezembro do ano transato.

Fonte: Club-k.net

Fontes familiarizadas com o assunto, não excluem a possibilidade de a cidadã estar a ser perseguida uma vez que a desculpa dada da confusão de nomes só seria possível se os sobrenomes fossem iguais. Além do mais, trata-se de funcionárias colocadas em unidades sanitárias diferentes e com escalas salariais diferentes. Se Emilia é susceptível de ser confundido com Emíliana, já não é o caso de Bundu com Jamba, nem de técnica média de 2a classe de enfermagem para técnica auxiliar de limpeza.


Emília Bundu, tendo se especializado em anestesia em 2016, aguarda até agora a colocação de especialidade. Antes da sua exclusão do seu nome da lista de salários, a vitima já não via o seu direito no concernente aos subsídios de banco e piquetes, o que reforça a tese de que o gestores estejam a agir de má fé. Todos os finais do mês o drama repete-se de ver o seu nome fora das listas. Consta que a visada teria recorrido superiormente para ver a questão resolvida mas sem sucesso.


Apesar de ter sido aconselhada a viajar a Luanda para solucionar o caso junto da direcção nacional de saúde, a mesma não consegue deslocar-se pelo facto de estar desprovida de recursos. Casos como da técnica media, repetem-se no Huambo fruto do mau funcionamento do pessoal dos recursos humanos. Em 2018 mais de cinquenta policias teriam sido excluídos da listas de salários, algo que se pensa que esteve na base dos aumentos de assalto a mão armada pelo facto de marginais terem sido vistos vestidos de uniforme da policia.



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: