Luanda - Tendo sido publicada uma matéria no semanário Novo Jornal do dia 6 de Setembro do corrente ano e estando de igual modo a circular um vídeo sem autoria nas redes sociais, relacionado com os doentes encaminhados pela Junta Nacional de Saúde de Angola, domiciliados em Portugal sob responsabilidade do Sector de Saúde naquele país, o Ministério da Saúde vem, por este meio, esclarecer o seguinte:

Fonte: Club-k.net


1. O Estado Angolano tem feito todo o esforço para garantir a assistência médica aos pacientes tanto em Angola através das unidades hospitalares, bem como aos doentes evacuados pela Junta Nacional de Saúde para o exterior do país;


2. Com relação aos doentes evacuados para o exterior (Portugal e África do Sul), o Estado tem garantido durante vários anos assistência médico-medicamentosa, alojamento, alimentação e transporte de acordo às disponibilidades financeiras em cada momento;


3. Os custos assistenciais e de alojamento são elevados o que faz com que o suporte financeiro não seja o mais adequado para o elevado número de pacientes e acompanhantes existentes em Portugal, muitos dos quais com muitos anos de estadia em Portugal;


4. Tendo em conta a actual crise financeira que o país vive e porque as verbas alocadas para o efeito não são suficientes, a solução incontornável a adoptar passará pela diminuição do número de pacientes e acompanhantes. Os pacientes deverão ser doravante tratados em Angola a semelhança da maioria da população tratada no país, permitindo assim a reversão do quadro actual.


5. Cumpridas as medidas acima expostas e com muito reduzido número esperado de pacientes em Portugal, estes poucos terão a sua situação social e assistencial melhorada e as dívidas sobretudo com alojamento serão certamente eliminadas.


GABINETE DE COMUNICAÇÃO E IMPRENSA DO MINISTÉRIO DA SAÚDE, EM LUANDA, 11 DE SETEMBRO DE 2019

 



DEBATE NAS REDES SOCIAIS:




DEBATE NO ANÓNIMATO: